Publicidade

Estado de Minas

PDT e PROS anunciam aliança com PSB de Lacerda na disputa pelo governo de Minas

Não está descartado, no entanto, que o ex-prefeito de BH seja candidato a vice-presidente da República na chapa de Ciro Gomes (PDT)


postado em 05/06/2018 11:59 / atualizado em 05/06/2018 12:08

Aliança foi anunciada com a presença das principais lideranças dos três partidos (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Aliança foi anunciada com a presença das principais lideranças dos três partidos (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)

O PSB, PDT e PROS anunciaram na manhã desta terça-feira aliança na disputa pelo governo de Minas Gerais – com a indicação do ex-prefeito Marcio Lacerda (PSB) para a cabeça de chapa. O nome do vice ainda não está definido, mas o mais cotado é o deputado federal Jaime Martins (PROs). De acordo com os dirigentes dos três partidos, outras legendas ainda poderão participar da coligação, como por exemplo o PCdoB.

A formalidade do anúncio da aliança, no entanto, não significa um ponto final nas especulações em torno da indicação de Marcio Lacerda para ser candidato a vice-presidente da República na chapa encabeçada pelo ex-ministro Ciro Gomes (PDT) – com quem Lacerda trabalhou no Ministério da Integração Nacional por mais de dois anos.

O próprio presidente estadual do PDT, Mario Heringer, não descartou a possibilidade. “Meu objetivo é ter um palanque adequado em Minas Gerais (para o Ciro). Mas em se tratando de uma mudança dessa (Lacerda não ser candidato a governador), teremos uma nova conversa. Mas com certeza continuaremos juntos em Minas”, afirmou o parlamentar. De acordo com ele, PDT e PSB deverão disputar as eleições juntos em pelo menos 12 estados.

Marcio Lacerda classificou de “remota” a possibilidade de disputar o Palácio do Planalto, até porque depende de um acerto entre a direção nacional do PSB e do PDT. O PSB está rachado: uma ala defende a aliança com Ciro, outra com Geraldo Alckmin, e ainda há quem defenda a neutralidade, ou seja, não coligar formalmente com nenhum presidenciável. “É uma hipótese que tem vários elementos para se concretizar. Mas se isso acontecer, vamos nos reunir”, desconversou.

Ainda não foi definido se as legendas continuarão juntas na disputa para as cadeiras de deputado federal e estadual e nem quem será o candidato a senador na chapa majoritária. Uma das articulações envolve a participação do PCdoB na chapa. Há duas semanas Lacerda teve um encontro com a direção da legenda, que sinalizou por uma aliança desde que a deputada federal Jô Moraes seja indicada para concorrer a uma cadeira de senadora.

 “A reunião foi pedida pelo PCdoB, que disse que gostaria de se habilitar para fazer parte da chapa. Mas disse que a decisão não é minha”, afirmou Marcio Lacerda. A transferência do título eleitoral da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) para Minas Gerais com o intuito de ser candidata a senadora inviabilizou uma aliança dos comunistas com o PT.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade