Publicidade

Estado de Minas

Financiamento coletivo para doações eleitorais começa tímido na internet

Em 15 dias, Doação Legal, principal plataforma de crowdfunding para campanhas políticas, registrou R$ 330 mil em arrecadação para 600 candidaturas


postado em 04/06/2018 19:54 / atualizado em 04/06/2018 20:22

O site foi criado pelo Vakinha, uma das maiores plataformas do tipo no país(foto: Site Doação Legal/Reprodução)
O site foi criado pelo Vakinha, uma das maiores plataformas do tipo no país (foto: Site Doação Legal/Reprodução)
Quinze dias depois do início das arrecadações, o Doação Legal, maior plataforma do gênero, registrou 600 candidatos, que receberam um total de R$ 330 mil de seus apoiadores.

É a primeira vez que as eleições contam com o sistema de crowdfunding, que permite, por meio de sites autorizados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que eleitores contribuam com candidatos. Esses sites já são amplamente usados para financiar projetos, inciativas culturais, ações filantrópicas, entre outros.

O Doação Legal foi criado pelo Vakinha, uma das maiores plataformas do tipo no país, em parceria com OkPago, especializada em meios de pagamento. Antes de maio, 500 candidatos já haviam se registrado previamente no site.

“Considero pouco, são 25 mil candidatos, mas se trata de uma ferramenta nova e muitas pessoas não entenderam o benefício. Apesar disso, está dentro da nossa meta de 1,5 mil candidatos”, afirma o diretor de marketing do Vakinha, Cristiano Meditsch.

O objetivo do site é arrecadar R$ 3 milhões até 15 de agosto, período de pré-campanha. Segundo o diretor, os grandes partidos ainda não se movimentaram digitalmente, embora há previsão dessa estratégia pelas legendas.

A legislação estabelece que os pré-candidatos podem arrecadar por meio de vaquinhas online, mas não são autorizados a usar o dinheiro até o início da campanha eleitoral, em 15 de agosto. Se a candidatura não for confirmada, o dinheiro deverá ser devolvido ao doador.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade