Publicidade

Estado de Minas

'Quem anda nos carros oficiais deve lembrar que o combustível sai do bolso do contribuinte', diz OAB

Em nota assinada pelo presidente Claudio Lamachia, entidade cobra 'bom senso e temperança' na solução do impasse envolvendo a greve dos caminhoneiros


postado em 25/05/2018 18:36 / atualizado em 25/05/2018 18:55

Claudio Lamachia disse que o governo deve encontrar meios de economizar despesas sem onerar os contribuintes(foto: Valter Campanato/Agência Brasil )
Claudio Lamachia disse que o governo deve encontrar meios de economizar despesas sem onerar os contribuintes (foto: Valter Campanato/Agência Brasil )

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou uma nota nesta sexta-feira em que fez críticas à política “abusiva” nos preços dos combustíveis por prejudicar o sistema produtivo e o cotidiano dos brasileiros e pediu “bom senso e temperança” por parte dos caminhoneiros e do Planalto na solução do impasse.

 “Quem anda atrás dos vidros escurecidos dos carros oficiais e nos privilegiados voos da FAB, deve lembrar sempre que o combustível que o Estado lhe fornece gratuitamente sai do bolso do contribuinte, que paga muito caro por ele", diz nota divulgada pela entidade. 

 

No texto, o presidente Claudio Lamachia reclama que o governo deve encontrar meios de economizar despesas sem onerar os contribuintes, que já são atingidos por uma das mais altas cargas tributárias do mundo.

 

“A adoção dessa política, sem levar em conta seus efeitos sociais, inviabilizou a atividade dos responsáveis pela quase totalidade do abastecimento no país. Essa situação expõe ainda a precariedade da infraestrutura do país. Há décadas, os seguidos governos, de diferentes matrizes ideológicas, se recusam a investir no desenvolvimento de outras formas de transporte”, diz o texto.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade