UAI
Publicidade

Estado de Minas

Procurador cita decisão sobre prisão de Lula e pede confirmação da condenação de Azeredo

Ex-governador é acusado de ter desviado R$ 3,5 milhões em recursos de três estatais mineiras para sua campanha à reeleição


postado em 24/04/2018 15:12 / atualizado em 24/04/2018 19:54

(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press )
(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press )

O procurador de Justiça Antônio de Padova Marchi Júnior pediu aos desembargadores a confirmação da condenação do ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB) pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro.

"Sua campanha funcionou como um laboratório de um esquema de corrupção que se alastrou no meio político", afirmou. Os recursos do tucano estão sendo analisados na tarde desta terça-feira na 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Marchi Júnior ainda cobrou a prisão em segunda instância. "É o momento em que a população relativiza o princípio da presunção de inocência. É a forma de enfrentamento aos crimes de corrupção e organização criminosa. Por essa luta, o cidadão oferece uma parcela de sua liberdade", disse procurador, citando ainda a decisão de 6 a 5 o Supremo Tribunal Federal (STF) no caso do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre prisão em segunda instância.

Após o julgamento do recurso de hoje, Azeredo, que já foi condenado, estaria, portanto, apto a ser preso.

O ex-governador é acusado de ter desviado R$ 3,5 milhões em recursos de três estatais mineiras para sua campanha à reeleição em 1998. Ele teve a condenação confirmada pela 5ª Câmara Criminal do TJ em agosto de 2017.

Na ocasião, com dois votos pela condenação e um pela absolvição, os desembargadores reduziram em nove meses a pena da primeira instância.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade