Publicidade

Estado de Minas

Prefeitura de Curitiba quer que Lula seja transferido para outro local

Alegação é que o clamor social das manifestações contra e a favor do ex-presidente, coloca em risco a ordem e segurança públicas e causa transtorno aos moradores da região


postado em 13/04/2018 17:54 / atualizado em 13/04/2018 18:05

A Policia Militar reforça a segurança ao redor da Superintendência da PF em Curitiba, após a prisão do ex-presidente Lula (foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil )
A Policia Militar reforça a segurança ao redor da Superintendência da PF em Curitiba, após a prisão do ex-presidente Lula (foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil )

São Paulo – A Procuradoria-Geral do Município de Curitiba pediu à 12ª Vara de Execuções Penais que transfira o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para outro local. O petista cumpre pena de 12 anos e um mês na sede da Polícia Federal, em uma sala especial. Segundo a Prefeitura, manifestações ao redor do local causam "transtorno aos moradores".

Segundo a procuradora Vanessa Volpi, "por solicitação da Superintendência da Policia Federal e da Polícia Militar do Paraná, considerando o clamor social das manifestações a favor e contra a prisão do ex-presidente, inclusive com risco grave de lesão a ordem e segurança públicas, e ainda, o transtorno aos moradores da região, o município de Curitiba obteve em 07/04 decisão liminar proferida em Interdito Proibitório para que fosse obstada a passagem de manifestantes no perímetro definido na inicial (ruas que davam acesso ao prédio da Polícia Federal), bem como proibindo a montagem de estruturas e acampamentos nas ruas e praças da cidade, sem prévia autorização municipal".

"Dos termos da liminar foram intimados os líderes do movimento e a Polícia Militar do Paraná para o devido cumprimento da ordem judicial", afirma a procuradora.

A procuradora relata que, no entanto, "os manifestantes contrários a prisão do ex-presidente Lula, iniciaram a montagem de acampamento nas imediações da sede da Polícia Federal, apesar do Município ter destinado a área do Parque do Atuba para a permanência dos mesmos, em flagrante descumprimento da ordem judicial, como também causando muitos transtornos aos moradores, ao trânsito e ao comércio da região".

"O município de Curitiba já exauriu as providências administrativas e judiciais para o cumprimento da ordem judicial, mas não tem atribuição legal para o seu cumprimento, dependendo da Polícia Militar para tanto", afirma.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade