Publicidade

Estado de Minas

Dilma fará palestras nos EUA e na Espanha para denunciar 'perseguição a Lula'

Por meio de nota, Dilma disse que vai denunciar que o ex-presidente é um 'preso político'


postado em 09/04/2018 00:30 / atualizado em 09/04/2018 08:01

Dilma durante missa/comício no sábado (7), em frente à sede do Sindicato dos Metalúrgicos, São Bernardo do Campo (SP), onde Lula ficou entre a decretação de sua prisão e se entregar à Polícia Federal(foto: Nelson Almeida)
Dilma durante missa/comício no sábado (7), em frente à sede do Sindicato dos Metalúrgicos, São Bernardo do Campo (SP), onde Lula ficou entre a decretação de sua prisão e se entregar à Polícia Federal (foto: Nelson Almeida)

São Paulo - A presidente cassada Dilma Rousseff vai ministrar uma série de palestras em universidades e instituições acadêmicas da Europa e Estados Unidos a partir desta segunda-feira (9).

Ela foi convidada a falar sobre o processo do impeachment de 2016. Segundo sua assessoria, a petista vai "denunciar a perseguição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva".

Por meio de nota, a presidente que teve o mandato cassado afirmou que Lula é “um preso político, vítima de uma perseguição implacável de adversários, que lançam mão do 'lawfare' para calá-lo e destruí-lo, no esforço de desqualificar seu papel perante a história e o povo brasileiro”.

Na Espanha, Dilma vai fazer conferências na Casa de América em Madri, na terça-feira, 10, e no Colégio de Advogados, em Barcelona, na quinta-feira, 12. Lá, ela deve receber uma investidura de honra e Medalha do Centenário da Real Academia Europeia de Doutores.

Nos Estados Unidos, a ex-presidente vai discursar em universidades da Califórnia. Dilma vai passar por Berkeley, no dia 16, por Stanford, no dia 17, e pela Universidade Estadual de San Diego, no dia 18.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade