Publicidade

Estado de Minas

Cassação atrasa unificação de sede

Montes Claros, no Norte de Minas, também implantará centro administrativo, mas afastamento de prefeito protelou empreendimento, que precisou ser negociado pela atual gestão municipal


postado em 01/04/2018 06:00 / atualizado em 01/04/2018 07:23

Antiga fábrica da Coteminas será reformada para abrigar cidade administrativa em área de 162 mil metros quadrados, em Montes Claros(foto: WILSON MEDEIROS/DIVULGAÇÃO)
Antiga fábrica da Coteminas será reformada para abrigar cidade administrativa em área de 162 mil metros quadrados, em Montes Claros (foto: WILSON MEDEIROS/DIVULGAÇÃO)

A Prefeitura de Montes Claros, município de 400 mil habitantes no Norte de Minas, tem secretarias espalhadas por vários prédios, que serão transferidos para uma cidade administrativa, que será instalada em antiga fábrica do grupo têxtil Coteminas, em área de 162 mil metros quadrados. As negociações com a empresa foram iniciadas há quase três anos, mas ainda não se sabe quando a sede será implantada. Em maio de 2015, o então prefeito Ruy Muniz (PSB) assinou acordo com a empresa têxtil para aquisição do imóvel para a implantação da cidade administrativa. Foram R$ 48 milhões divididos em 36 prestações a serem pagas pelo município.

Na ocasião, foi anunciado que seriam aplicados cerca de R$ 30 milhões em equipamentos e em serviços de reforma dos galpões da antiga indústria. No entanto, a sede administrativa não foi implantada pela gestão anterior. Muniz foi afastado do cargo pela Justiça em abril de 2016, inclusive chegou a ser preso, oito meses antes do fim do mandato. O vice-prefeito José Vicente Medeiros (PMDB), que assumiu a administração municipal, deixou de pagar as parcelas para a Coteminas.

FÁBRICA ANTIGA
Em outubro de 2017, o atual prefeito, Humberto Souto (PPS), fez negociação com a companhia e ficou estabelecido que o Executivo municipal pagará parte da dívida da aquisição da antiga fabrica com a transferência de imóveis do município para a empresa, em sistema de permuta. De acordo com a atual administração, com os juros, a aquisição do imóvel gerou dívida para a prefeitura de R$ 80 milhões, fora os custos de equipamentos e construção da nova sede administrativa. A prefeitura garante, no entanto que, com o novo entendimento, “não haverá custo financeiro”.

“A Coteminas entregará a sede administrativa totalmente reformada e mobiliada”, segundo a prefeitura. Para isso, a empresa pediu prazo de seis meses após o fechamento do negócio. Por outro lado, a prefeitura revela que ainda não sabe exatamente quando a cidade administrativa será instalada, embora estejam em estágio avançado, as negociações entre município e empresa ainda não foram totalmente acertadas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade