Publicidade

Estado de Minas

Pré-candidatas à Presidência da República fazem campanha hoje em BH

Marina Silva ( Rede) e Manuela D'Ávila (PCdoB) desembarcam nesta sexta-feira em Belo Horizonte


postado em 26/01/2018 06:00 / atualizado em 26/01/2018 10:29

Marina Silva e Manuela D'Àvila(foto: Sidney Lopes/EM/D.A Press e Ana Rayssa/Esp.CB/D.A. Press)
Marina Silva e Manuela D'Àvila (foto: Sidney Lopes/EM/D.A Press e Ana Rayssa/Esp.CB/D.A. Press)

Belo Horizonte recebe hoje duas pré-candidatas à Presidência da República. A deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) desembarca na capital para uma série de compromissos de pré-campanha, que incluem um encontro com o governador Fernando Pimentel (PT). A ex-senadora Marina Silva, líder da Rede, faz palestra hoje à noite e amanhã lança sua própria pré-candidatura ao Planalto e a do ex-secretário estadual de Educação João Batista Mares Guia ao governo de Minas.

O PCdoB não terá candidato ao governo do estado e vai apoiar a reeleição de Pimentel, lançando como candidata ao Senado a deputada federal Jô Moraes. Manuela D’Ávila chega pela manhã e tem encontro com sindicalistas no Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região. No início da tarde, ela conversa com o governador e, na sequência, dá entrevista à imprensa. No início da noite, a pré-candidata participa de plenária com apoiadores na Câmara Municipal.

De acordo com Jô Moraes, o PCdoB já definiu pela continuidade do apoio ao governo Fernando Pimentel, no qual a legenda comanda uma pasta com o secretário de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais e ouvidor do estado, Wadson Ribeiro. “Há uma construção e integramos o governo. Vamos disputar a chapa majoritária com minha candidatura ao Senado. Que me desculpem os homens que começam as conversinhas, mas é hora de Minas ter uma mulher em uma posição de disputa mais destacada, por isso a candidatura ao Senado”, afirmou Jô Moraes.

Depois da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), as incertezas sobre a disputa eleitoral de outubro aumentaram, já que não se sabe se será possível o petista concorrer ao pleito. Manuela, que participou de ato de mulheres em apoio ao petista na véspera do julgamento, está entre os que defendem que o petista seja julgado pelas urnas. Mesmo assim, ela poderia herdar alguns votos do ex-presidente caso ele saia da disputa.

Jô Moraes diz que o PCdoB tem planos de lançar candidaturas em alguns estados, além de turbinar o nome de Manuela D’Ávila, como forma de trabalhar para garantir cadeiras no Congresso. Por causa da cláusula de barreira, o partido precisa garantir votos suficientes para conquistar vagas de deputados federais.

CONVITE João Batista Mares Guia já vinha percorrendo cidades de Minas Gerais e participando de reuniões da Rede como nome escolhido para concorrer ao Palácio Tiradentes. Ele é irmão do ex-ministro Walfrido dos Mares Guia. João Batista havia antecipado em suas redes sociais que sua candidatura a governador seria anunciada por Marina. “Há 20 anos, encontrava-me completamente distante de partido político e de atividade política, dedicado somente à melhoria da educação básica pública, formando diretores de escolas, pedagogos e professores. A Rede Sustentabilidade me convidou e, após muita reflexão, aceitei o convite para me candidatar a governador de Minas nas eleições de 2018”, disse.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade