Publicidade

Estado de Minas

Detalhes vão dando certeza de que atos ocorreram conforme denúncia, diz relator


postado em 24/01/2018 13:12

Porto Alegre, 24 - O desembargador João Pedro Gebran Neto, relator do caso triplex do Guarujá no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), disse nesta quarta-feira, 24, que os "detalhes" descritos na sentença de condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dão "certeza" de que os fatos ocorreram da forma como foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF).

"Vários detalhes vão se somando. Embora sejam detalhes, todos eles somados vão dando certeza de que ocorreram dessa forma", disse o magistrado ao analisar a acusação de que Lula teria recebido um triplex no Guarujá da empreiteira OAS, como propina, sem ter pago por isto.

Os "detalhes" mencionados pelo desembargador fazem referência aos indícios de que a esposa de Lula, Dona Marisa Letícia, que morreu no ano passado, teria chegado a visitar áreas comuns do empreendimento no litoral paulista. O relator no TRF-4 interpretou esse fato como algo relevante para comprovar a tese do Ministério Público Federal.

Gebran Neto é o primeiro a começar a ler seu voto no julgamento realizado nesta quarta pelo tribunal. Ainda restam outros dois desembargadores para que o resultado seja proclamado.

Lula foi condenado pelo juiz Sérgio Moro a mais de nove anos de prisão por corrupção passiva lavagem de dinheiro neste mesmo processo, em julho do ano passado, quando o mesmo estava em primeira instância.

(Renan Truffi, Julia Lindner e Ricardo Brandt)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade