Publicidade

Estado de Minas

MPF denuncia dois por morte de militante na ditadura


postado em 20/01/2018 08:54

São Paulo, 20 - O Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo denunciou dois responsáveis pela morte do militante político Ronaldo Mouth Queiroz, em 1973. O então delegado Cláudio Antônio Guerra executou à queima-roupa o estudante de geologia no centro da capital paulista a partir de informações passadas por João Henrique Ferreira de Carvalho, agente infiltrado na Ação Libertadora Nacional (ALN), organização de resistência ao regime militar da qual Queiroz fazia parte. Guerra e Carvalho são acusados de homicídio qualificado. As informações são do jornal

O Estado de S. Paulo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade