Publicidade

Estado de Minas

'Ele agora perdeu a boca de aluguel', diz Kalil sobre críticas de João Leite

Ex-presidente do Atlético reagiu a declarações do tucano de que BH não pode 'arriscar' elegê-lo


postado em 30/09/2016 16:13 / atualizado em 30/09/2016 16:23

Alexandre Kalil fez campanha nesta sexta-feira no bairro Nova Vista, onde visitou áreas de alagamento em período de chuva(foto: Alexandre Guzanche/EM/D.A Press)
Alexandre Kalil fez campanha nesta sexta-feira no bairro Nova Vista, onde visitou áreas de alagamento em período de chuva (foto: Alexandre Guzanche/EM/D.A Press)

O ex-presidente do Atlético Mineiro, Alexandre Kalil (PHS), usou de ironia para rebater declarações do deputado estadual João Leite (PSDB), seu principal adversário na disputa pela Prefeitura de Belo Horizonte.

“Fala com ele que está muito cedo, para ele esperar que tudo que ele falar eu vou responder. Ele agora perdeu a boca de aluguel, vai ter que falar”, afirmou o candidato do PHS, referindo-se ao fato de, até então, João Leite evitar criticá-lo, deixando esse papel para os outros adversários, a quem Kalil chama de “bocas de aluguel”. No segundo turno, no entanto, só estarão os dois na disputa.

Nesta sexta-feira, o tucano comparou Kalil à ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e disse que Belo Horizonte não pode “arriscar” eleger o cartola atleticano. “Negar a política, nós vimos a consequência que teve no Brasil. Uma presidente isolada, que não conversou com o parlamento e que não conversou com a população produziu 12 milhões de desempregados. Creio que a crítica está bem feita e a população de BH vai poder avaliar quem tem mais experiência e trabalhou pela cidade”, afirmou João Leite.

O candidato do PHS lembrou que o PSDB fez parte da administração de Marcio Lacerda (PSB) até pouco antes do início da campanha eleitoral, e agora faz críticas ao governo municipal.

Kalil não quis comentar o adesivo divulgado pela campanha de Rodrigo Pacheco (PMDB) que diz: Kalil, BH não merece isso. “Esse eu não respondo. Esse já está fora (do segundo turno)”, argumentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade