Publicidade

Estado de Minas PLA­NOS

Can­di­da­tos à PBH fa­lam so­bre pro­pos­tas pa­ra concluir a despoluição e re­vi­ta­li­zar a Pampulha

Car­tão-pos­tal ago­ra é Pa­tri­mô­nio Cul­tu­ral da Hu­ma­ni­da­de


postado em 18/08/2016 00:12 / atualizado em 18/08/2016 08:03

(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)

Pro­me­ti­da há anos, a des­po­lui­ção da La­goa da Pam­pu­lha, car­tão-pos­tal da ci­da­de, tam­bém es­tá nos pla­nos dos can­di­da­tos à Pre­fei­tu­ra de Be­lo Ho­ri­zon­te. No dia em que o com­ple­xo ar­qui­te­tô­ni­co re­ce­beu o cer­ti­fi­ca­do de ins­cri­ção na lis­ta de Pa­tri­mô­nio Cul­tu­ral da Hu­ma­ni­da­de da Unes­co, o Es­ta­do de Mi­nas per­gun­tou a eles quais as pro­pos­tas pa­ra a re­gião. To­dos res­sal­ta­ram a ne­ces­si­da­de de con­cluir o pro­ces­so de re­vi­ta­li­za­ção não só da la­goa, mas de seu en­tor­no. Co­mo boa par­te dos cór­re­gos que de­sá­guam na la­goa vem de Con­ta­gem, can­di­da­tos de­fen­dem par­ce­ria com a pre­fei­tu­ra da ci­da­de vi­zi­nha e com os go­ver­no es­ta­dual e fe­de­ral. Há tam­bém ideias de cons­truir es­pa­ços es­por­ti­vos e in­cre­men­tar o tu­ris­mo no lo­cal.

João Lei­te (PS­DB)
A Pam­pu­lha tem um gran­de de­sa­fio, que é pre­ser­var o seu pa­tri­mô­nio e tam­bém re­cu­pe­rar o meio am­bien­te, man­ter a se­gu­ran­ça pa­ra as pes­soas que bus­cam por la­zer e es­por­te a re­gião. Va­mos con­ti­nuar es­se tra­ba­lho, que te­ve um pa­pel im­por­tan­te do nos­so gru­po – de 2012 a 2014 o es­ta­do li­be­rou R$ 140 mi­lhões pa­ra o de­sas­so­rea­men­to e a des­po­lui­ção da la­goa. Com es­te tí­tu­lo tão im­por­tan­te que a Pam­pu­lha re­ce­beu, te­mos a re­gião tam­bém co­mo lo­cal im­por­tan­te de pre­sen­ça tu­rís­ti­ca, en­tão é pre­ci­so pen­sar tam­bém no en­tor­no do mi­nei­ri­nho e mi­nei­rão. Te­mos que dar con­ti­nui­da­de ao de­sas­so­rea­men­to e à co­le­ta do es­go­to e é im­por­tan­te um en­ten­di­men­to per­ma­nen­te com Con­ta­gem, go­ver­no es­ta­do, Co­pa­sa e go­ver­no fe­de­ral. Há tam­bém uma ex­pec­ta­ti­va gran­de de vol­tar com es­por­tes náu­ti­cos em par­ce­ria com fe­de­ra­ções uni­ver­si­tá­ria e de re­mo, que es­tá sen­do cria­da.

Ro­dri­go Pa­che­co (PMDB)
Con­si­de­ran­do es­se tí­tu­lo im­por­tan­te que a Pam­pu­lha ga­nhou, a prin­ci­pal me­ta é o cum­pri­men­to das con­di­cio­nan­tes im­pos­tas pe­la Unes­co pa­ra dar con­ti­nui­da­de a es­se tí­tu­lo, es­pe­cial­men­te a des­po­lui­ção da la­goa. Va­mos tra­tar com a Pre­fei­tu­ra de Con­ta­gem e a Co­pa­sa pa­ra re­sol­ver es­se pro­ble­ma, tor­nan­do a Pam­pu­lha atra­ti­va pa­ra o tu­ris­mo e ge­ran­do o de­sen­vol­vi­men­to eco­nô­mi­co e so­cial da re­gião. Es­sa se­rá uma das prio­ri­da­des do meu go­ver­no, pois não po­de­mos frus­tar o po­vo e re­tro­ce­der nes­se as­pec­to. Be­lo Ho­ri­zon­te vai exer­cer a li­de­ran­ça nes­sa in­ter­lo­cu­ção, pois a La­goa fi­ca na ca­pi­tal, mas tem re­fle­xos na ques­tão do sa­nea­men­to de Con­ta­gem.

Dé­lio Ma­lhei­ros (PSD)
Nos úl­ti­mos anos a Pam­pu­lha ex­pe­ri­men­tou uma evo­lu­ção co­mo nun­ca viu. Is­so cul­mi­nou com o tí­tu­lo que re­ce­be­mos ho­je. En­tre vá­rias ou­tras ini­cia­ti­vas, nos­so go­ver­no pro­mo­veu a re­vi­ta­li­za­ção do en­tor­no, a mo­der­ni­za­ção da ilu­mi­na­ção na or­la e a tão es­pe­ra­da lim­pe­za do es­pe­lho d’á­gua. No nos­so pró­xi­mo go­ver­no, va­mos co­lher os fru­tos do nos­so tra­ba­lho, apro­vei­tan­do ao má­xi­mo to­do o po­ten­cial de de­sen­vol­vi­men­to eco­nô­mi­co, de tu­ris­mo e la­zer que es­se tí­tu­lo traz. Va­mos im­ple­men­tar o ôni­bus tu­rís­ti­co, apri­mo­rar a si­na­li­za­ção pa­ra o tu­ris­mo re­cep­ti­vo, ca­pa­ci­tar a Guar­da Mu­ni­ci­pal a dar in­for­ma­ções tu­rís­ti­cas e, o que é mui­to im­por­tan­te, atrair in­ves­ti­men­tos da ini­cia­ti­va pri­va­da pa­ra apro­vei­tar to­do es­se po­ten­cial eco­nô­mi­co que vem jun­to com os tu­ris­tas, além de es­trei­tar ain­da mais o diá­lo­go com to­dos os se­to­res que es­tão sen­do be­ne­fi­cia­dos: ho­téis, ba­res, res­tau­ran­tes. É um mo­men­to de fes­ta pa­ra to­da a ci­da­de e to­da a po­pu­la­ção sai ga­nhan­do.

Ale­xan­dre Ka­lil (PHS)
A gen­te sa­be que o pro­ble­ma to­do é o es­go­ta­men­to sa­ni­tá­rio que to­mou con­ta e aca­bou com a Pam­pu­lha, en­tão, é um pro­ble­ma gra­vís­si­mo. E te­mos ou­tro ju­rí­di­co, ago­ra com o Ia­te Clu­be, que é a de­sa­fe­ta­ção da área. Mas acho que fa­lar em lim­pe­za da água sem fa­lar em re­cur­so fe­de­ral é de­ma­go­gia, por­que são obras ca­rís­si­mas que de­man­dam von­ta­de de ir lá e bus­car di­nhei­ro. É um as­sun­to in­ter­mu­ni­ci­pal que tem que ser tra­ta­do jun­to com Con­ta­gem. A si­tua­ção da pre­fei­tu­ra é ca­la­mi­to­sa, fal­ta di­nhei­ro. Ago­ra, te­mos que dar pro­te­ção, ilu­mi­nar, cui­dar, po­li­ciar pa­ra que a área se­ja um im­por­tan­te lu­gar de la­zer pa­ra o mi­nei­ro. Is­so te­mos gen­te pa­ra fa­zer. Não te­mos di­nhei­ro pa­ra lim­par a la­goa e quem fa­lar is­so es­tá fa­lan­do men­ti­ra, mas va­mos lu­tar in­can­sa­vel­men­te pa­ra tra­zer re­cur­sos.

Eros Bion­di­ni (PROS)
As ações que es­tão sen­do to­ma­das ago­ra já de­ve­riam ter si­do to­ma­das há mui­tos anos em par­ce­ria com a Co­pa­sa pa­ra des­po­lui­ção e tra­ta­men­to dos afluen­tes que de­sá­guam na la­goa. Den­tro des­sa ló­gi­ca de des­po­lui­ção e de­sas­so­rea­men­to, é fun­da­men­tal uma ação mais efe­ti­va e efi­caz. A vi­são do pre­fei­to tem que ser me­tro­po­li­ta­na, já que a ci­da­de é li­mí­tro­fe com ou­tras. É pre­ci­so fa­zer pro­gra­ma de sa­nea­men­to on­de es­tão os ri­bei­rões, fa­zer es­ta­ções de tra­ta­men­to. Em re­la­ção ao com­ple­xo ar­qui­te­tô­ni­co, pre­ten­do uti­li­zar me­lhor as es­tru­tu­ras, não só di­vul­gan­do me­lhor nos­so mu­seu, mas fa­zen­do even­tos na Ca­sa do Bai­le, co­mo se­res­tas e ati­vi­da­des que res­ga­tas­sem a his­tó­ria da ci­da­de. A ig­re­ji­nha da Pam­pu­lha po­de ser bem ex­plo­ra­da co­mo tu­ris­mo re­li­gio­so. Mi­nha pro­pos­ta é le­var co­rais in­fan­tis em par­ce­ria com as or­ques­tras da po­lí­cia e dos bom­bei­ros pa­ra se apre­sen­tar ao en­tar­de­cer.

Sar­gen­to Ro­dri­gues (PDT)
Uma das ques­tões que co­lo­ca­mos é ob­via­men­te con­cluir a des­po­lui­ção da la­goa, de for­ma a res­ga­tar a fau­na e a flo­ra e as con­di­ções da la­goa, que ho­je ain­da dei­xa a de­se­jar. Pri­mei­ro te­nho to­mar pé de co­mo es­tá o pro­je­to em an­da­men­to. Que­ro im­ple­men­tar tam­bém um mo­ni­to­ra­men­to per­ma­nen­te pa­ra que se evi­te re­tro­ces­so, che­gar on­de se che­gou com re­la­ção aos ní­veis de po­lui­ção da la­goa. Ain­da no meio am­bien­te, te­mos a pro­pos­ta de re­vi­ta­li­zar 35 par­ques mu­ni­ci­pais e au­men­tar a pro­por­ção de me­tro qua­dra­do ver­de por ha­bi­tan­te. As pes­soas con­ti­nuam jo­gan­do li­xo, gar­ra­fas e sa­co­las, en­tão é pre­ci­so cui­dar tam­bém des­ta ques­tão da edu­ca­ção, fa­zen­do uma cam­pa­nha edu­ca­ti­va com re­la­ção ao pa­tri­mô­nio, mos­tran­do in­clu­si­ve o gas­to que é fei­to. Tu­do is­so vai po­ten­cializar mui­to o tu­ris­mo ali não só de pes­soas de fo­ra co­mo en­tre as da pró­pria ci­da­de.

Re­gi­nal­do Lo­pes (PT)
Pre­ci­sa­mos criar um con­sór­cio in­ter­mu­ni­ci­pal en­tre Con­ta­gem e BH pa­ra  sa­near a La­goa da Pam­pu­lha. Te­mos que res­ga­tar o prin­cí­pio de uma po­lí­ti­ca que foi vi­to­rio­sa nos go­ver­nos Pa­trus e Pi­men­tel, que foi o Dre­nur­bs, um con­cei­to de pre­ser­va­ção das nas­cen­tes e de cui­dar do cur­so d'água. Te­mos que bus­car des­po­luir a la­goa no seu per­cur­so, do cór­re­go até a com­po­si­ção da la­goa, não só na che­ga­da. É pos­sí­vel fa­zer mais um par­que eco­ló­gi­co com com­ple­xo es­por­ti­vo, mas tu­do is­so tem que ser dis­cu­ti­do com a po­pu­la­ção. Tam­bém é pre­ci­so olhar pa­ra a Pam­pu­lha fo­ra da or­la. Tem re­giões li­mi­te com Ne­ves e con­ta­gem não tem Umeis nem cen­tro de saú­de e on­de não exis­te se­gu­ran­ça. Que­re­mos uma úni­ca Pam­pu­lha.

Mar­ce­lo Ál­va­ro An­tô­nio (PR)
Em nos­sa ges­tão rea­li­za­re­mos um pro­fun­do diag­nós­ti­co so­bre as con­di­ções da po­lui­ção da água da La­goa da Pam­pu­lha e so­bre a via­bi­li­da­de da re­vi­ta­li­za­ção de suas áreas. Le­va­re­mos em con­ta es­se diag­nós­ti­co e de­ba­te­re­mos com a po­pu­la­ção as con­di­ções reais en­con­tra­das. Te­re­mos res­pon­sa­bi­li­da­de de di­zer a ver­da­de e não to­ma­re­mos ne­nhu­ma me­di­da pre­ci­pi­ta­da sem an­tes ou­vir a po­pu­la­ção e a aca­de­mia qua­li­fi­ca­da pa­ra o as­sun­to. To­do pa­tri­mô­nio cul­tu­ral e ar­qui­te­tô­ni­co de nos­sa ci­da­de se­rá cui­da­do e vis­to com mui­ta sen­si­bi­li­da­de.

Ma­ria da Con­so­la­ção (PSOL)
A pro­pos­ta não é só pa­ra a Pam­pu­lha. Nós pre­ci­sa­mos fa­zer um pro­ces­so de re­cu­pe­ra­ção das nas­cen­tes da re­gião. A des­po­lui­ção da la­goa pas­sa pe­la des­po­lui­ção tam­bém dos cór­re­gos que de­sá­guam ne­la e de­ve ser dis­cu­ti­da com os ou­tros mu­ni­cí­pios. A ques­tão am­bien­tal pas­sa pe­la re­gião me­tro­po­li­ta­na. Nós pre­ci­sa­mos ter ou­tra ló­gi­ca. É pre­ci­so re­pen­sar a po­lí­ti­ca am­bien­tal que re­cu­pe­ra a ba­cia e as nas­cen­tes dos cór­re­gos da ci­da­de. Pa­ra vo­cê re­cu­pe­rar a Pam­pu­lha tem que fa­zer es­sa po­lí­ti­ca in­te­gra­da.

Va­nes­sa Por­tu­gal (PS­TU)
A ques­tão da Pam­pu­lha vai pa­ra além do com­ple­xo em si. Tem que se re­sol­ver um pro­ble­ma no sa­nea­men­to. A des­po­lui­ção não vai re­sol­ver o pro­ble­ma se a La­goa con­ti­nuar re­ce­ben­do es­go­to. É pre­ci­so uma po­lí­ti­ca de ur­ba­ni­za­ção das ci­da­des do en­tor­no, ou mais es­go­tos clan­des­ti­nos vão con­ti­nuar sen­do jo­ga­dos na la­goa. Na ver­da­de é um pla­no mais com­ple­xo que uma in­ter­ven­ção es­pe­cí­fi­ca na Pam­pu­lha. A ques­tão pas­sa pe­lo tra­ta­men­to de es­go­to de for­ma com­ple­ta, em to­das as suas fa­ses.

Luis Ti­bé (PTdoB)
O can­di­da­to foi pro­cu­ra­do pe­la re­por­ta­gem pa­ra fa­lar so­bre o te­ma, mas não re­tor­nou a li­ga­ção.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade