Publicidade

Estado de Minas

Juiz dá prazo de 72 horas para Pimentel explicar nomeação de primeira-dama para secretaria

Na semana passada, o governador de Minas publicou a substituição do deputado André Quintão (PT) por Carolina de Oliveira


postado em 03/05/2016 18:03 / atualizado em 03/05/2016 20:15

A Justiça de Minas Gerais determinou, nesta terça-feira, o prazo de 72 horas para que o governador Fernando Pimentel explique a nomeação da primeira-dama de Carolina Oliveira para a Secretária de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social. “(...) determino a intimação do requerido, o Governador do Estado, por mandado, para que, no prazo de setenta e duas horas, manifeste-se especificamente sobre o pedido liminar.”, afirma na decisão o titular da 1° Vara da Fazenda Pública e Autarquias de Belo Horizonte, Michel Cury e Silva.

A Ação Popular foi movida pelo advogado mineiro Mariel Marley Marra. Ele foi responsável pelo pedido de impeachment contra o vice-presidente da República Michel Temer.

Na semana passada, o governador Fernando Pimentel (PT) nomeou Carolina secretária de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social. A nomeação foi publicada no Diário Oficial do Estado. Carolina ocupa o lugar na secretaria em substituição a André Quintão (PT), que reassumiu seu mandato de deputado estadual na Assembleia Legislativa.

No decreto, é informado que a exoneração de André Quintão foi um pedido do deputado. Na ocasião, o governo estadual afirmou que a indicação de Carolina de Oliveira para a Secretaria de Estado de Trabalho estava definida há alguns meses e apenas aguardava que a primeira-dama retornasse da licença maternidade.

Sobre a decisão desta tarde, a reportagem entrou em contato com a assessoria do governo de Minas que informou que ainda não foi notificado da decisão e que se manifestará sobre os assunto nos autos.



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade