Publicidade

Estado de Minas

Delegados da PF fazem ato em BH contra interferência política

Grupo manifestou apoio às investigações da Operação Lava-Jato e quer que Polícia Federal não sofra pressões políticas durante os trabalhos de investigação da corrupção no Brasil


postado em 18/03/2016 15:10 / atualizado em 18/03/2016 15:26

(foto: Jair Amaral/EM/D.A PRESS)
(foto: Jair Amaral/EM/D.A PRESS)
Cerca de 50 delegados da Polícia Federal de Belo Horizonte e do interior de Minas Gerais deram um abraço simbólico na Superintendência Regional de Polícia Federal do estado, no Bairro Gutierrez, Oeste de BH, no início da tarde desta sexta-feira em apoio às investigações da Operação Lava-Jato. O ato organizado pela Associação dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) aconteceu em todo o país e também teve o objetivo de manifestar solidariedade ao juiz Sérgio Moro, que conduz os trabalhos da Lava-Jato na Justiça Federal.

“Queremos ressaltar o caráter republicano dessa investigação e a autonomia da PF, principalmente em virtude dos últimos acontecimentos, como rumores de pressão política contra a polícia e troca de ministros da Justiça”, afirma o vice-diretor da ADPF em Minas, delegado Elster Moraes. “Essa investigação interessa ao Brasil e não a um determinado partido”, completa.

O abraço na superintendência aconteceu entre 13h e 14h, horário de almoço dos delegados, e, portanto, não houve paralisação dos trabalhos. Medidas que poderão garantir a autonomia sonhada pela PF estão incluídas na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 412/2009, que tramita desde 2009 na Câmara dos Deputados. É com a aprovação desse mecanismo que a PF acredita que poderá continuar o trabalho de investigar a corrupção e impedir os desvios de recursos públicos no Brasil, segundo o delegado Elster Moraes.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade