Publicidade

Estado de Minas

Marina faz carreata sem aliados em último evento de campanha


postado em 04/10/2014 00:12 / atualizado em 04/10/2014 07:50

Rio de Janeiro – O último evento de campanha de Marina Silva (PSB) no Rio de Janeiro, ontem, expôs a falta de apoio à candidata no estado na reta final. Nenhum dos líderes do PSB acompanhou um passeio em carro aberto feito por ela e pelo candidato a vice Beto Albuquerque (PSB) em um trajeto de menos de um quilômetro na Tijuca, Zona Norte. Nem o presidente nacional, Roberto Amaral, que é do Rio, nem o candidato ao Senado Romário (PSB), nem Rubens Bomtempo (PSB), vice-presidente nacional do partido e figura constante em outros eventos de Marina na cidade, compareceram Assim, acompanhando Marina, estavam apenas Carlos Painel, coordenador regional da Rede Sustentabilidade – partido criado pela candidata, mas ainda não oficializado –, e o vereador Jefferson Moura (Psol), que se filiará à Rede tão logo o partido seja oficializado
A própria atividade escolhida para a campanha foi controversa. A agenda oficial chamava para um “passeio em carro aberto” com Marina. O nome mais correto talvez fosse uma carreata, mas Marina rejeita as carreatas por entender que elas não são “sustentáveis”.
Quando o carro em que Marina estava parou no trânsito próximo a uma feira de artesanato. Albuquerque tomou o microfone e disse que Dilma e Aécio têm campanhas milionárias enquanto a de Marina tem apenas “o povo brasileiro”. Repetiu várias vezes uma expressão muito comum na política do Rio Grande do Sul, seu estado de origem: “É a campanha do tostão contra a campanha do milhão”.
Do chão, a coordenadora do programa de governo de Marina, Neca Setúbal, educadora e herdeira do grupo financeiro que inclui o Banco Itaú, aplaudia e observava o assédio dos eleitores a Marina. No fim da linha do trajeto, com o microfone do carro de som nas mãos para poupar a voz enfraquecida, a candidata deu uma coletiva de imprensa. Fez projeções para o segundo turno e insinuou que o PT da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, preferiria enfrentar Aécio Neves (PSDB) em 26 de outubro em vez dela. No fim da tarde, Marina fez campanha em Rio Branco, capital ddo Acre, seu estado natal.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade