Publicidade

Estado de Minas

Marina cobra programa de adversários

Em discurso a empresários no Rio de Janeiro a presidenciável atacou o programa eleitoral petista na televisã e cobrou de Dilma e Aécio Neves (PSDB) a apresentação do programa de governo para conhecimentos dos eleitores


postado em 13/09/2014 06:00 / atualizado em 13/09/2014 07:25

Rio de Janeiro – A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, subiu o tom das críticas à principal adversária na campanha, Dilma Rousseff (PT). Em discurso a empresários no Rio de Janeirona sexta-feira, a presidenciável atacou o programa eleitoral petista na televisão, fazendo alusão ao mundo da fantasia “onde tudo funciona”; voltou a lembrar o escândalo da Petrobras e cobrou de Dilma e Aécio Neves (PSDB) a apresentação do programa de governo para conhecimentos dos eleitores.

“Assinar cheque em branco é perigoso. Onde estão os programas dos meus adversários? Que apresentem para que possamos fazer a comparação”, cobrou Marina Silva. Acompanhada do vice, a candidata defendeu que o eleitor não pode escolher o presidente com promessas “genéricas”. “Nesse momento, o que está em jogo é algo muito grandioso: se vamos ou não eleger um presidente com base em um programa ou com base apenas em promessas e diretrizes genéricas”, atacou Marina.

Durante o evento na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Marina se comparou ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante a campanha de 1989. “Dilma usa comigo a mesma tática que Collor usou com Lula”, criticou. “Não vale tudo para ganhar uma eleição. Vi o Collor de Mello ganhar uma eleição do Lula usando a mesma estratégia que a presidente Dilma está usando e não foi um resultado bom, porque dividiu o país. Quero ganhar uma eleição com base no debate, nas propostas e não na indústria da calúnia e da mentira, do boato, do preconceito, da difamação”, atacou.

DIFAMAÇÃO Após o discurso, Marina Silva virou alvo de uma representação no Ministério Público Eleitoral movida ontem pelo Diretório Nacional do PT. A legenda acusa a candidata de praticar crime de difamação eleitoral nas declarações dadas durante sabatina ao jornal O Globo. Por nota, a sigla diz que Marina “extrapolou o direito de crítica, ferindo abertamente a honra da legenda, bem jurídico tutelado pelo tipo penal em questão”. A ex-ministra disse que o PT colocou “por 12 anos um diretor para assaltar os cofres da Petrobras”, em menção a Paulo Roberto Costa.

BC AUTÔNOMO À noite, durante comício em Fortaleza, a candidata do PSB voltou a defender a independência do Banco Central e disse que é preciso evitar que aconteça com o BC o que, segundo ela, aconteceu com a Petrobras, que foi tomada por um grupo político. “Um grupo que, além da corrupção, desmoralizou, depreciou uma empresa antes tão valorizada”, disse ao chegar à Praça do Ferreira, no Centro da capital cearense. A presidenciável do PSB afirmou que é preciso recuperar o BC e colocá-lo a serviço dos brasileiros. Marina disse que seu foco, se eleita, será recuperar a estabilidade econômica perdida nos últimos anos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade