Publicidade

Estado de Minas

Declarações de bens dos candidatos já podem ser consultadas na internet

Entre os deputados estaduais que tentam a reeleição, há os que enriqueceram e os que dizem ter perdido dinheiro; veja a lista


postado em 11/07/2014 06:00 / atualizado em 11/07/2014 07:27

A declaração de bens dos deputados estaduais mineiros que vão disputar as eleições deste ano mostra realidades muito diferentes entre eles. Nos dados divulgados pela Justiça Eleitoral tem de tudo: de parlamentar que multiplicou o patrimônio em 20 vezes nos últimos quatro anos, passando por aqueles que “apenas” dobraram as suas posses, a outros que perderam dinheiro – em valores que variaram de R$ 90 mil a R$ 2 milhões.

Embora não esteja entre os mais abastados no Legislativo mineiro, o deputado Tadeu Martins Leite (PMDB) é aquele que teve a maior evolução no patrimônio. Ao tomar posse na Assembleia em fevereiro de 2011, o então estreante tinha bens avaliados em R$ 46.180,08 – a maior parte referente a um automóvel Golf avaliado em R$ 39 mil. Quatro anos depois, ele declara agora ter R$ 927.011,22, dos quais mais de R$ 240 mil correspondem a aplicações financeiras e R$ 300 mil a imóveis. Outros R$ 100 mil são de leasing de um automóvel. O parlamentar alega que o crescimento se deve justamente a financiamentos. “Eu pago prestações todos os meses, mas na declaração já constam como bens que possuo”, afirma o parlamentar.

Há outros casos assim. Os bens do deputado Mário Henrique Caixa (PCdoB) saltaram de R$ 140.398,25 em 2010 (referentes a um automóvel Honda Civic e aplicações financeiras) para R$ 964.344,55, dos quais           R$ 640 mil são de um imóvel financiado em 420 prestações no Bairro Luxemburgo. Rogério Correia (PT) teve um salto de cinco vezes nas finanças: se em 2010 ele tinha apenas um carro e parte de uma casa – pouco mais de R$ 146 mil –, atualmente ele tem R$ 1.092.963,20. Assim como o colega de plenário, boa parte do crescimento se deve a um financiamento de imóvel no Luxemburgo, avaliado em R$ 900 mil.

Alguns não tiveram uma evolução tão grande, mas conseguiram completar o primeiro milhão. É o caso de Anselmo Domingos (PTC) – que teve o patrimônio de R$ 582,5 mil em 2010 aumentado para R$ 1,12 milhão neste ano. Nos dois casos, referem-se basicamente a imóveis e aplicações bancárias. Bosco (PTdoB) é outro novo “milionário”: há quatro anos, ele declarou ter R$ 355 mil em imóveis e um automóvel. Atualmente, ele tem R$ 1,17 mi em mais imóveis e dois carros.

O deputado Bosco também justifica o crescimento patrimonial pelo financiamento de um apartamento no Bairro Cidade Jardim, no valor de R$ 400 mil. “Eu e minha esposa fizemos um contrato para pagar em 15 anos. Tivemos que investir em um imóvel aqui quando assumi o mandato”, justificou o deputado, que é de Araxá, no Triângulo Mineiro. Anselmo Domingos foi procurado pela reportagem pelo celular e no gabinete, mas a informação é que ele estaria viajando.

Perdas
Entre os que perderam dinheiro, está o deputado Pinduca Ferreira (PP), que declarou estar R$ 90 mil “mais pobre”: os bens deles caíram de R$ 1,096 milhão para R$ 1,006 milhão. Laffayette Andrada (PSDB) perdeu pouco mais de R$ 300 mil nos últimos quatros anos, enquanto Leonardo Moreira (PSDB) perdeu quase R$ 600 mil. Laffayette alega que se desfez de bens nos últimos quatro anos, mas não especificou quais. Leonardo Moreira não foi localizado pela reportagem.

Pior parece ter acontecido com Bonifácio Mourão (PSDB), cujo patrimônio caiu de R$ 2,75 milhões para R$ 757 mil. Mas ele não se queixa. Pelo contrário. “Fiz doações de imóveis para meus três filhos em julho de 2011”, explicou o tucano, que tinha cinco apartamentos em 2010 e agora tem dois. O deputado com maior patrimônio é Jayro Lessa (DEM), que declarou ter R$ 44.374.939,55.

BENS DECLARADOS

Deputado    2010    2014


Adalclever Lopes (PMDB)    R$ 340.000,00    Não declarado
Agostinho Patrus Filho (PV)    R$ 4.135.079,97    R$ 4.555.543,49
Alencar da Silveira Jr. (PDT)    R$ 4.844.741,00    R$ 6.491.764,66
André Quintão (PT)    R$ 257.143,14    R$ 250.421,50
Anselmo Domingos (PTC)    R$ 582.500,00    R$ 1.120.500,00
Antônio Lerin (PSB)    R$ 150.000,00    R$ 987.450,00
Arlen Santiago (PTB)    R$ 3.681.117,08    R$ 4.206.501,69
Bonifácio Mourão (PSDB)    R$ 2.756.047,20    R$ 757.016,11
Bosco (PT do B)    R$ 355.000,00     R$ 1.170.000,00
Braulio Braz (PTB)    R$ 9.910.444,98    R$ 15.707.926,31
Cabo Júlio (PMDB)    R$ 140.000,00    R$ 210.000,00
Carlos Henrique (PRB)    R$ 473.339,48    R$ 725.209,60
Carlos Pimenta (PDT)    R$ 1.724.787,71    R$ 1.875.000,00
Cássio Soares (PSD)    Não declarado    R$ 124.459,98
Celinho do Sinttrocel (PCdoB)    R$ 300.000,00    R$ 606.507,39
Célio Moreira (PSDB)    R$ 664.220,00    R$ 2.166.171,00
Dalmo Ribeiro (PSDB)    R$ 2.870.514,11    R$ 3.464.504,06
Deiró Marra (PR)    R$ 4.347.467,64    R$ 11.937.655,45
Dilzon Melo (PTB)    R$ 6.357.479,02    R$ 9.303.638,99
Dinis Pinheiro (PSDB) (*)    R$ 1.444.658,71    R$ 1.725.910,75
Dr. Wilson Batista (PSD)    R$ 606.165,23    R$ 2.135.043,62
Duarte Bechir (PSD)    R$ 586.000,00    R$ 579.832,53
Duílio de Castro (PMN)    R$ 197.505,81    R$ 843.048,94
Durval Angelo (PT)    R$ 1.233.358,26    R$ 560.473,54
Elismar Prado (PT)    R$ 258.179,04    R$ 389.000,00
Fabiano Tolentino (PPS)    R$ 33.941,24    R$ 140.771,73
Fábio Cherem (PSD)    R$ 4.019.050,84    R$ 7.694.237,39
Fred Costa (PEN)    R$ 811.547,79    R$ 2.042.944,09
Gustavo Valadares (PSDB)    R$ 1.040.723,83    R$ 1.865.605,95
Hélio Gomes (PSD)    R$ 9.710.134,94    R$ 23.679.396,67
Hely Tarquínio (PV)    R$ 1.145.231,17    R$ 1.146.780,98
Inácio Franco (PV)    R$ 6.283.109,73    R$ 18.216.370,13
Ivair Nogueira (PMDB)    R$ 5.510.846,61    R$ 7.692.620,13
Jayro Lessa (DEM)    R$ 40.063.716,66    R$ 44.374.939,55
João Leite (PSDB)    R$ 1.031.411,54    R$ 1.228.151,11
João Vitor Xavier (PSDB)    R$ 405.425,57    R$ 1.111.825,89
Lafayette Andrada (PSDB)    R$ 1.854.820,69    R$ 1.546.582,35
Leonardo Moreira (PSDB)    R$ 5.695.992,37    R$ 5.110.926,10
Leonídio Bouças (PMDB)    R$ 3.576.436,26    R$ 4.545.798,80
Liza Prado (PROS)    R$ 444.131,35    R$ 649.292,12
Luiz Henrique (PSDB)    R$ 356.693,86    R$ 507.245,69
Luiz Humberto Carneiro (PSDB)    R$ 1.645.500,00    R$ 4.056.271,90
Luzia Ferreira (PPS) (**)    R$ 393.000,00    R$ 1.271.193,17
Maria Tereza Lara (PT)    R$ 315.100,00    R$ 362.000,00
Mário Henrique Caixa (PC do B)    R$ 140.398,25    R$ 964.344,55
Marques Abreu (PTB)    R$ 8.379.821,93    R$ 8.405.982,36
Neider Moreira (PSD)    R$ 1.597.204,58    R$ 1.652.486,87
Neilando Pimenta (PP)    R$ 525.274,71    R$ 883.667,64
Paulo Guedes (PT)    R$ 572.334,66    R$ 918.767,05
Paulo Lamac (PT)    R$ 563.970,87    R$ 1.006.522,81
Pinduca (PP)    R$ 1.096.001,00    R$ 1.006.235,91
Pompílio Canavez (PT)    R$ 112.686,79    R$ 674.078,05
Rogério Correia (PT)    R$ 146.706,00    R$ 1.092.963,20
Romel Anízio (PP)    R$ 5.694.412,49    R$ R$ 4.911.253,71
Rômulo Veneroso (PV) (**)    R$ 656.627,65    R$ 2.005.424,07
Rômulo Viegas (PSDB)    R$ 264.390,58    R$ 42.620,00
Rosângela Reis (Pros)    R$ 2.178.251,88     R$ 2.474.600,00
Sargento Rodrigues (PDT)    R$ 997.873,14    R$ 1.561.758,49
Sávio Souza Cruz (PMDB)    R$ 7.756.609,36    R$ 9.886.597,00
Tadeu Martins Leite (PMDB)    R$ 46.180,08    R$ 927.011,22
Tiago Ulisses (PV)    R$ 705.737,58    R$ 1.018.522,88
Tony Carlos (PMDB)    Não declarou    R$ 1.701.504,51
Ulysses Gomes (PT)    R$ 266.347,92    R$ 921.847,48
Vanderlei Miranda (PMDB)    R$ 730.728,63    R$ 2.062.807,49
Wander Borges (PSB)    R$ 1.217.061,55    R$ 991.419,53
Zé Maia (PSDB)    R$ 712.181,29    R$ 262.320,79

(*)Candidato a vice-governador
(**) Candidatos a deputado federal


Publicidade