Publicidade

Estado de Minas

Ministro nega flexibilização de leis trabalhistas

"Por trás de flexibilização de leis trabalhistas sempre há perdas para os trabalhadores", disse o ministro ao chegar para o ato do Dia do Trabalho


postado em 01/05/2014 11:49 / atualizado em 01/05/2014 12:25

Para Manoel Dias, flexibilização de leis trabalhistas significa perda de direitos(foto: Valter Campanato/ABr)
Para Manoel Dias, flexibilização de leis trabalhistas significa perda de direitos (foto: Valter Campanato/ABr)
São Paulo- Ao chegar para evento  do Dia do Trabalhador da Força Sindical, em São Paulo, o ministro do Trabalho, Manoel Dias, disse há pouco que não há no governo estudos que pretendam flexibilizar as leis trabalhistas. "Por trás de flexibilização de leis trabalhistas sempre há perdas para os trabalhadores", disse o ministro.

Segundo Dias, o que é preciso é modernizar a Consolidação da Leis Trabalhistas (CLT), que é muito antiga.

O ministro desconversou ao ser perguntado se o trabalhador não merecia um ajuste maior que 4,5% da tabela do Imposto de Renda (IR). "O trabalhador merece tudo. Mas não se pode negar o esforço do governo nas políticas sociais", disse o ministro do Trabalho.

Em sua mensagem aos trabalhadores, Manoel Dias disse que eles precisam se organizar, participar mais da discussões sobre políticas públicas. De acordo com ele, as conquistas se ampliam na medida em que a organização aumenta. Disse também que o Ministério está passando por reformas que o levarão a ser mais ágil no atendimento aos trabalhadores até o final do ano.

Com Agência Estado


Publicidade