Publicidade

Estado de Minas

Marcos Valério se entrega em BH; outros sete já estão presos, entre eles Dirceu e Genoino

Até as 21h, oito dos 12 condenados que tiveram a prisão imediata determinada nesta sexta-feira já estavam presos, cinco deles ma capital mineira


postado em 15/11/2013 20:33 / atualizado em 15/11/2013 23:20

Carro conduzido pelo próprio Marcos Valério deixou a fazenda em Caetanópolis no fim da tarde
Carro conduzido pelo próprio Marcos Valério deixou a fazenda em Caetanópolis no fim da tarde

 

O principal operador do mensalão, o empresário Marcos Valério, já está preso na sede da Polícia Federal em Belo Horizonte. Ele chegou ao prédio às 20h50 depois de deixar a fazenda onde mora em Caetanópolis, Região Central de Minas, no fim da tarde, dirigindo o próprio carro. Valério foi condenado a 40 anos, 4 meses e 6 dias de prisão e é um dos 12 réus que tiveram a prisão imediata determinada no começo da tarde pelo Supremo Tribunal Federal. Até as 20h, oito dos condenados já estavam presos, cinco deles na capital mineira. Em São Paulo, se apresentaram o deputado federal e ex-presidente do PT, José Genoino, e o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu. Em Brasília foi preso o ex-acessor do PL, Jacinto Lamas. Em BH, além de Valério foram presos a ex-secretária e o ex-sócio dele, Simone Ramalho e Cristiano Paz, o ex-deputado petista Romeu Queiroz e a ex-presidente do Banco Rural Kátia Rabello.

Valerio deixou a fazenda dirigindo o próprio carro
Valerio deixou a fazenda dirigindo o próprio carro
Usando boné e óculos escuros, Valério saiu da propriedade rural em um Hyundai branco. A fazenda onde ele está recluso fica a aproximadamente 100 km de Belo Horizonte. A expectativa é que ele se entregue nas próximos horas. A primeira condenada a se apresentar na sede da PF em BH foi a ex-funcionária de Valério, Simone Vasconcelos, que chegou ao prédio às 18h45 acompanhada pelo advogado.

Outro condenado ligado a Marcos Valério que se entregou, pouco depois de Simone, é o ex-sócio do empresário, Cristiano Paz. Pouco depois se apresentaram o ex-deputado do PTB, Romeu Queiroz, e a ex-presidente do Banco Rural, Katia Rabello. Em São Paulo, o deputado federal e ex-presidente do PT José Genoino foi o primeiro a se entregar. Em Brasília, o ex-acessor do PL Jacinto Lamas também se entregou. Por volta das 20h30 se entregou em São Paulo o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu.

Ao todo, 16 réus tiveram o processo registrado com transitado em julgadono começo da tarde desta sexta-feira pelo presidente do Supremo Tribunal Federa, Joaquim Barbosa. Com isso, todos podem ter determinada a execução imediata das penas. Foram expedidos 12 mandados de prisão, que chegaram à sede da PF em Brasília por volta das 16h10. O diretor-geral do órgão, Leandro Daiello, anunciou queiria acompanhar pessoalmente a operação das prisões. Ele recebeu ordem direta do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para acompanhar o cumprimento dos mandados e garantir que não sejam usadas algemas para efetivar as prisões, conforme estabelece a lei que prevê uso do objeto apenas quando há resistência física ou ameaça à integridade física de terceiros.

Deputado federal licenciado José Genoino (PT) deixa sua casa no bairro do Butantã para se entregar na sede da Polícia Federal de SP (foto: ROBSON FERNANDES/ESTADÃO)
Deputado federal licenciado José Genoino (PT) deixa sua casa no bairro do Butantã para se entregar na sede da Polícia Federal de SP (foto: ROBSON FERNANDES/ESTADÃO)


O primeiro a se entregar foi o ex-presidente do PT, José Genoino, que se apresentou à Superintendência da Polícia Federal de São Paulo por volta das 18h30. Ele se mostrou confiante na chegada à sede do órgão. Mais cedo, o deputado licenciado divulgou uma nota em seu site oficial afirmando ser inocente e de que sente um "preso político".

 

(Com informações do Correio Braziliense)

 

Confira os 12 condenados que tiveram os mandados de prisão expedidos nesta sexta-feira

José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil

Pena total: 10 anos e 10 meses
Crimes: corrupção ativa e formação de quadrilha
Multa: R$ 676 mil

José Genoino, deputado federal (PT-SP)

Pena total: 6 anos e 11 meses
Crimes: corrupção ativa e formação de quadrilha
Multa: R$ 468 mil

Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT
Pena total: 8 anos e 11 meses
Crimes: corrupção ativa e formação de quadrilha
Multa: R$ 325 mil

Marcos Valério, empresário
Pena total: 40 anos, 4 meses e 6 dias
Cumprirá pena por corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e formação de quadrilha.
Crimes: corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e formação de quadrilha
Multa: R$ 3,06 milhões

Simone Vasconcelos, ex-diretora financeira da SMP&B

Pena total: 12 anos, 7 meses e 20 dias
Crimes: corrupção ativa, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.
Multa: R$ 263,9 mil

Romeu Queiroz, ex-deputado do PTB-MG

Pena total: 6 anos e 6 meses
Crimes: corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Multa: R$ 828 mil

Jacinto Lamas, ex-assessor parlamentar do extinto PL

Pena total: 5 anos
Crimes: lavagem de dinheiro
Multa: R$ 260 mil

Henrique Pizzolato, ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil

Pena total: 12 anos e 7 meses
Crimes: corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato
Multa: R$ 1,316 milhão

Kátia Rabello, ex-presidente do Banco Rural

Pena total: 16 anos e 8 meses
Crimes: lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, evasão de divisas e formação de quadrilha
Multa: R$ 1,5 milhão

José Roberto Salgado, ex-executivo do Banco Rural

Pena total: 16 anos e 8 meses
Crimes: lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, evasão de divisas e formação de quadrilha
Multa: R$ 1 milhão

Ramon Hollerbach, publicitário

Pena total: 29 anos, 7 meses e 20 dias
Crimes: corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e formação de quadrilha
Multa: R$ 2,79 milhões

Cristiano Paz, publicitário

Pena total: 25 anos, 11 meses e 20 dias
Crimes: corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha
Multa: R$ 2,53 milhões

 


Publicidade