Publicidade

Estado de Minas

Fichas-sujas que disputaram eleição aguardam decisão do TSE

Sete ministros avaliam caso a caso durante sessões marcadas para terças e quintas-feiras


postado em 10/10/2012 06:00 / atualizado em 10/10/2012 07:57

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) voltou a julgar na noite de ontem os 2.243 candidatos que disputaram as eleições municipais com processos pendentes na justiça eleitoral. Depois de encerrado o primeiro turno das eleições, a corte formada por sete ministros retomará as sessões todas as terças e quintas-feiras para analisar os casos de prefeitos e vereadores que tiveram as candidaturas indeferidas ou deferidas sub judice. Em Minas, 225 candidatos a vereador ou prefeito aguardam a definição para saber se terão os votos recebidos no domingo computados ou não. Mesmo para os candidatos que não conseguiram se eleger, a atenção se voltará para a corte, uma vez que se forem barrados em plenário podem ser enquadrados na Lei Ficha Limpa e ficar impedidos de concorrer a cargos eletivos pelos próximos oito anos.

Na pauta da primeira sessão entraram mais de 60 processos, sendo que quatro deles envolvem políticos mineiros. Entraram recursos de candidatos das cidades de Ibirité, Biquinhas, Lagoa Santa e Belo Horizonte, mas os resultados não foram divulgados pelo TSE. Segundo a assessoria do tribunal, cada caso será julgado separadamente em plenário e a votação acontecerá depois que o ministro relator ler seu voto.  Não há previsão sobre o encerramento dos julgamentos.

Ao todo são 6.916 pedidos de reconsideração feitas por candidatos e partidos sobre candidaturas rejeitadas pelos tribunais regionais. Entre os recursos que tramitam no TSE, não estão apenas candidatos enquadrados pela Ficha Limpa – condenados por órgão colegiado –, mas também políticos e partidos que foram questionados por outros motivos. Até ontem, os ministros já haviam analisado 3.235 casos.

Morto tem mais votos que vivos

Mesmo depois de morto, um homem acabou recebendo votos para vereador em Montes Claros. Gilberto Francisco dos Santos, de 59 anos, o aposentado Gilberto Xerife, que era candidato a vereador pelo PTdoB, morreu em 25 de setembro, depois de uma parada cardíaca. Mesmo assim, recebeu sete votos no domingo. O falecido recebeu mais votos do que 20 candidatos vivos, sendo que sete deles tiveram apenas um voto. A Justiça Eleitoral não foi comunicada da morte de Gilberto Xerife a tempo de retirar o nome dele da urna eletrônica.


Publicidade