Publicidade

Estado de Minas

Metrô entra na campanha eleitoral de Lacerda

Prefeito Marcio Lacerda promete, se eleito, começar as obras de duas linhas, uma ligando a Lagoinha à Savassi e outra de lá até o Belvedere


postado em 21/07/2012 06:00 / atualizado em 21/07/2012 11:12

Prefeito Marcio Lacerda disse ontem apostar no transporte de massa para resolver os problemas de trânsito na capital mineira (foto: Beto Novaes/EM/D.A PRESS )
Prefeito Marcio Lacerda disse ontem apostar no transporte de massa para resolver os problemas de trânsito na capital mineira (foto: Beto Novaes/EM/D.A PRESS )


O prefeito Marcio Lacerda (PSB) afirmou ontem que a expansão do metrô em Belo Horizonte será uma das principais marcas do seu segundo mandato, caso consiga a reeleição. O candidato prometeu o início das obras de duas linhas. Uma ligando a Estação Lagoinha, na Região Central de Belo Horizonte, à Savassi, e outra de lá até o Belvedere, ambos na Zona Sul da capital. “Esse tipo de solução estruturante, de altos investimentos, é que vai melhorar o trânsito na cidade. Não adianta abrir mais vias para continuarem entupidas de automóveis”, argumentou Lacerda.

O candidato não citou o gasto a ser feito na obra, mas que projeção feita pelo governo municipal prevê investimento de R$ 40 bilhões na cidade até 2030, dos quais mais da metade será para mobilidade urbana. Conforme Lacerda, sondagens para construção de quatro quilômetros de linhas subterrâneas no trajeto da Avenida Afonso Pena começarão nas próximas semanas. A expectativa é de que sejam construídas quatro estações ao longo da via.

O investimento, segundo Lacerda, será por parceria público-privada (PPP). O prefeito avalia que a licitação para a obra possa ser realizada no início do próximo ano. Para o trecho Savassi-Belvedere, o prefeito afirma já estarem prontos o estudo de viabilidade e o número de estações, que não foi revelado. O anúncio oficial do projeto deverá ser feito até o fim do mês ou em agosto.

Durante anúncio dos nomes dos coordenadores do programa de governo, Lacerda retrucou afirmação de Aloísio Vasconcellos (PMDB), vice na chapa de seu principal adversário, o ex-ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Patrus Ananias (PT), de que o melhor para a cidade é escolher um candidato com mais afinidade com o governo federal. O ex-ministro pertence ao mesmo partido da presidente Dilma Rousseff. “É uma visão atrasada da política e não republicana. Dilma tem demonstrado em todos os projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que está atendendo de forma técnica e equilibrada as demandas das cidades. Não sou adversário de Dilma. Nunca fui. Trabalhei na campanha dela. A discussão não é sobre quem está contra ou a favor. Isso é um rebaixamento da política brasileira.”

O prefeito afirmou ainda que pretende ampliar o alcance do meio-passe escolar. Hoje, o benefício é pago a cerca de seis mil estudantes do ensino médio. A intenção é conceder o valor também para jovens e adultos em alfabetização e para quem participa do Programa Universidade para Todos, do governo federal. Ele garantiu que o aumento do número de estudantes que receberão o meio-passe não implicará em reajuste no preço das passagens para quem não tem o benefício.

Lacerda disse ainda querer aprofundar ações de prevenção à criminalidade em meio aos mais jovens que, conforme o candidato, “é quase uma calamidade pública”. O coordenador do programa de governo de Lacerda para a área será o professor Cláudio Beato. José Roberto Champs, engenheiro civil e sanitarista, cuidará do setor de desenvolvimento urbano. Márcia Alves, também professora, da área social e Beatriz Goes, formada em ciência da computação, da gestão pública.

Saiba mais

Metrô


O projeto que prevê a expansão do metrô na capital mineira faz parte do PAC Mobilidade Grandes Cidades do governo federal e está avaliado em R$ 3,1 bilhões, sendo R$ 1 bilhão do Orçamento Geral da União, R$ 878 milhões financiados junto ao BNDES e R$ 1,2 bilhão repassados pelo governo estadual e prefeitura, valor que seria contratado por meio da modalidade parceria publico privada (PPP). Na lista de ações previstas na obra, estão melhorias e reformas na Linha 1 (Vilarinho/Eldorado) – acréscimo de 1,7 quilômetro no sentido Contagem – construção da Linha 2, que ligará a região do Barreiro à estação do Calafate – extensão de 10,5 quilômetros e seis estações – e construção da Linha 3, que ligará a Savassi à estação da Lagoinha – extensão de 4,5 quilômetros e cinco estações. A ligação Savassi/Belvedere não foi incluída no projeto do governo federal.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade