Publicidade

Estado de Minas

Délio Malheiros quer apoio dos petistas insatisfeitos

O pré-candidato a prefeito de Belo Horizonte diz que identidade programática pode fazer a união


postado em 11/06/2012 20:42 / atualizado em 11/06/2012 21:00

O deputado estadual Délio Malheiros (PV) e pré-candidato a prefeito de Belo Horizonte admitiu nesta segunda-feira que irá capitalizar a divisão interna do PT, em busca de apoiadores para sua candidatura. E ele já recebeu sinal verde para seguir em frente. “Já fui procurado hoje por várias lideranças petistas de movimentos sociais querendo conversar por estarem insatisfeitos”, afirma. A declaração de Malheiros ocorre um dia dia depois de os petistas baterem chapa para a escolha do candidato a vice do prefeito Marcio Lacerda, que disputa a reeleição.

Sete pré-candidatos petistas se inscreveram para a disputa. Na peneira, acabaram sobrando três concorrentes para o pleito disputado em dois turnos. Na segunda rodada de ida às urnas, o deputado federal Miguel Correa Júnior ganhou o embate - cacifado pelo apoiamento do ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Fernando Pimentel-, derrotando Luiz Gustavo Fortini, que contava com a adesão do atual vice de Lacerda, Roberto Carvalho, que é também presidente do Diretório Municipal do PT.

Carvalho reiterou nesta segunda-feira que continua difícil unir a militância petista em torno da candidatura de Lacerda. Ele sustenta o argumento com base nos 40,25% dos votos dos delegados na candidatura de Fortini. “Isso significa dizer que esse percentual de delegados representa cerca de 60% da militância do partido”, assegura. Carvalho também disse que a divisão interna do PT poderá ser acirrada ainda mais se Lacerda rifar os petistas da coligação para formar uma chapa de candidatos a vereador. O prefeito vem sinalizando que vai escolher o PSDB para esse acordo eleitoral. “Se isso acontecer, podemos até voltar a discutir a proposta de uma candidatura própria”, ameaça.

É neste rastro de discórdia que Malheiros pretende caminhar. “Vou trabalhar para aglutinar o máximo de militantes”, afirma. Ele informou nesta segunda-feira que já foi incentivado por Carvalho a buscar a militância petista descontente com a escolha do deputado Miguel Correa Júnior. “Ele (Roberto), em um encontro ocasional, me disse que eu teria o voto dessa militância porque temos identidade programática”, confidencia. E Malheiros já colocou data para arregaçar as mangas e ir atrás das lideranças e , principalmente, da militância, famosa por fazer a diferença no corpo a corpo em campanhas eleitorais. “Semana que vem começo a buscar o diálogo. Vou só esperar esfriar um pouco os ânimos, respeitando os vencedores, mas vou buscar os vencidos”, garante.


Publicidade