Publicidade

Estado de Minas

Suplente de Demóstenes Torres tem elo com Cachoeira


postado em 03/04/2012 06:00 / atualizado em 03/04/2012 07:55

O primeiro suplente do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), o empresário Wilder Pedro de Morais, teve contatos frequentes com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, a exemplo do titular do mandato no Senado. Se Demóstenes se licenciar ou renunciar ao cargo, Wilder é o primeiro substituto natural do posto. A exemplo do senador, o suplente conhece bem Cachoeira. O bicheiro participou de jantares promovidos pelo empresário em sua casa. Foi num desses encontros que Cachoeira conheceu a mulher de Wilder, Andressa Alves Mendonça, segundo ela contou ao Estado de Minas. Depois de Wilder e Andressa se separarem, ela passou a viver com o bicheiro. O relacionamento já dura oito meses. “O Wilder ofereceu um jantar e alguém levou o Carlinhos. Depois, me separei, e fiquei muito próxima a ele”, afirma.

 

Foi o próprio Demóstenes que expôs esse aspecto da vida pessoal de seu suplente, em recente entrevista em que tentava explicar o motivo das 298 conversas telefônicas que teve com Cachoeira entre entre fevereiro e agosto de 2011, como mostram as degravações da Polícia Federal (PF) para a Operação Monte Carlo. “A mulher do meu suplente o deixou e passou a viver com Cachoeira. Eu e minha mulher tivemos de resolver esse problema. Por isso houve tantas ligações e encontros”, justificou Demóstenes, na ocasião.


Wilder é secretário de Infraestrutura do governado de Goiás. Dono de 26 empresas, principalmente grandes construtoras, conforme registros da Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg), foi um dos principais financiadores da campanha de Demóstenes. Diante da possibilidade concreta de herdar seis anos e meio de mandato, Wilder terá de explicar as relações com Cachoeira. “Eu conheci o Carlinhos por meio do Wilder. Hoje eles não são amigos, são inimigos”, afirma a ex-mulher do suplente e atual mulher de Cachoeira. A mulher de Cachoeira afirma não ter se incomodado com o fato de Demóstenes ter atribuído a ela a razão dos 298 diálogos com o bicheiro. “Não vi problema. Ele achou por bem falar falar isso.”


Publicidade