Publicidade

Estado de Minas ENEM 2011

Candidatura de Haddad em 2012 está em risco


postado em 29/10/2011 06:00 / atualizado em 29/10/2011 07:00

Brasília – Preocupado com os efeitos da nova polêmica em torno do Enem sobre a disputa pela prefeitura de São Paulo (SP), o PT paulista busca blindar o ministro da Educação, Fernando Haddad, e afastar o tema das prévias da legenda para a escolha de seu candidato ao posto, em 2012. Dentro do partido, a leitura é de que, apesar de ser menor do que os problemas apresentados no Enem em edições anteriores, o vazamento de questões em Fortaleza dá munição para possíveis adversários do ministro, caso ele seja o aclamado pelo partido para concorrer na eleição municipal do ano que vem.

A legenda unificou o discurso em torno de Haddad e tenta evitar que o fiasco se transforme em mote nas prévias do partido. “Não vamos fazer debate fratricida e oportunista em disputa tão importante para o PT”, afirma o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), apoiador da candidatura da senadora Marta Suplicy (PT-SP) à prefeitura. Internamente, contudo, os petistas vêem no vazamento das provas um flanco aberto para opositores do ministro.

No PMDB do deputado Gabriel Chalita (SP), por exemplo, é consenso que o Enem é a principal marca de Haddad à frente do ministério. Considerado um sucesso da pasta, o Programa Universidade para Todos (ProUni) é associado ao ex-presidente Lula, não a Haddad. O ministro é mais lembrado pelo exame nacional e suas falhas reincidentes, avaliam os peemedebistas. Nome de peso na área de Educação, Chalita aparece como principal opositor de Haddad na corrida pela prefeitura de São Paulo.
 


Publicidade