Publicidade

Estado de Minas ENEM 2011

Candidatura de Haddad em 2012 está em risco


postado em 29/10/2011 06:00 / atualizado em 29/10/2011 07:00

Brasília – Preocupado com os efeitos da nova polêmica em torno do Enem sobre a disputa pela prefeitura de São Paulo (SP), o PT paulista busca blindar o ministro da Educação, Fernando Haddad, e afastar o tema das prévias da legenda para a escolha de seu candidato ao posto, em 2012. Dentro do partido, a leitura é de que, apesar de ser menor do que os problemas apresentados no Enem em edições anteriores, o vazamento de questões em Fortaleza dá munição para possíveis adversários do ministro, caso ele seja o aclamado pelo partido para concorrer na eleição municipal do ano que vem.

A legenda unificou o discurso em torno de Haddad e tenta evitar que o fiasco se transforme em mote nas prévias do partido. “Não vamos fazer debate fratricida e oportunista em disputa tão importante para o PT”, afirma o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), apoiador da candidatura da senadora Marta Suplicy (PT-SP) à prefeitura. Internamente, contudo, os petistas vêem no vazamento das provas um flanco aberto para opositores do ministro.

No PMDB do deputado Gabriel Chalita (SP), por exemplo, é consenso que o Enem é a principal marca de Haddad à frente do ministério. Considerado um sucesso da pasta, o Programa Universidade para Todos (ProUni) é associado ao ex-presidente Lula, não a Haddad. O ministro é mais lembrado pelo exame nacional e suas falhas reincidentes, avaliam os peemedebistas. Nome de peso na área de Educação, Chalita aparece como principal opositor de Haddad na corrida pela prefeitura de São Paulo.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade