Publicidade

Estado de Minas

Orlando Silva deve entregar carta de demissão à Dilma na tarde desta quarta


postado em 26/10/2011 11:57 / atualizado em 26/10/2011 13:37

O ministro do Esporte, Orlando Silva, deve entregar carta de demissão à presidente Dilma Rousseff nesta quarta-feira, após uma série de denúncias sobre irregularidades em contratos com organizações não governamentais (ONGs), empresas-fantasma e os programas federais Pintando a Cidadania e o Programa Segundo Tempo. Nos bastidores, até o momento, especula-se que os nomes mais forte para chefiar o Esporte são os deputados Aldo Rebelo (PC do B-SP) e Luciana Santos (PC do B-PE), ex-prefeita de Olinda.

Na manhã desta quarta-feira, Silva se reuniu com líderes do PCdoB - partido de Silva - e o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, para definir um substituto para a pasta, também indicado pelo partido. A negociação para deixar o cargo teriam começado na noite dessa terça, após o anúncio da abertura de inquérito para investigar Orlando Silva, feito pela ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Carmem Lúcia, a pedido do procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

Conforme noticiado pelo Correio Braziliense, o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, chamou o presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo, para uma conversa no Palácio do Planalto, nessa terça. Eles analisaram o agravamento do quadro político e discutiram a relação do partido com o governo. Para não parecer perseguição ou má vontade com uma aliado histórico, os comunistas poderão procurar um filiado à legenda para substituir Orlando.

Diante das deúncias feitas pelo policial militar João Dias à Revista Veja, a princípio, o PCdoB adotou postura favorável a Orlando Silva, para garantir o comando da pasta. No entanto, ontem, o quadro se alterou: a audiência de Silva na Câmara dos Deputados, para tratar da Lei Geral da Copa do Mundo serviu como "prato cheio" para a oposição, que tratou exclusivamente das irregularidades do Esporte.


Publicidade