Publicidade

Estado de Minas

Prefeitura de BH apresenta etapas para ampliação do metrô

Projeto desenvolvido há seis anos será revisado. Obra deve ser totalmente concluída em 2017


postado em 20/09/2011 09:17 / atualizado em 20/09/2011 09:20

Depois da confirmação dos recursos do PAC Mobilidade Grandes Cidades para a revitalização do trecho já existente do metrô de Belo Horizonte e construção das duas novas linhas, a prefeitura começa a revisar os projetos desenvolvidos há seis anos para as obras. O prefeito Marcio Lacerda (PSB) apresentou ontem os próximos passos para o metrô da capital e anunciou que a previsão da prefeitura é de que as obras comecem em 2012 e devem ser concluídas entre 2016 e 2017.

Apesar de não entrar na programação de obras de melhoria na mobilidade visando aos jogos da Copa do Mundo em Belo Horizonte, Lacerda explicou que as melhorias iniciais já poderão ser percebidas até 2014 pelos usuários do transporte público de BH, como viagens mais rápidas e mais confortáveis entre as estações já em funcionamento. “Esse não é um projeto para a Copa, alguma coisa na revitalização poderá aparecer na época da Copa, mas a obra não é para o evento e sim para a cidade e região metropolitana”, explicou.

Para Lacerda, o estágio avançado do projeto e a vontade política demostrada pelas três esferas da administração pública para que a obra saia do papel podem facilitar as primeiras ações no novo transporte da capital. “As primeiras sondagens já foram feitas para todo o projeto, com estudos de viabilidade econômica iniciados em um trabalho sério que começou na gestão de Fernando Pimentel (PT), quando eu era secretário de Desenvolvimento do governo Aécio. Até o fim deste ano vamos rever todo o trabalho técnico feito anteriormente, junto com o governo federal e esperamos que até meados de 2012 já tenhamos a licitação para que as obras comecem no mesmo ano”, disse o prefeito.

Mais trens

Segundo ele, os primeiros resultados vão aparecer primeiro nas melhorias da linha 1 (Eldorado/Vilarinho), com a substituição e ampliação no número de trens, troca da sinalização e aumento na velocidade do transporte. “A linha 2 (Barreiro-Calafate) virá em seguida, já que as obras foram iniciadas anos atrás e interrompidas. Já a linha 3 demoraria um pouco mais. Se contarmos a partir de hoje, com as obras se iniciando até o fim do ano que vem, levaríamos entre quatro e cinco anos para ter tudo pronto”, afirmou Lacerda. Entre os R$ 3 bilhões liberados para a parceria público privada, estão previstos também recursos para um novo estudo básico para a extensão do metrô de Contagem até Betim, na região metropolitana.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade