Publicidade

Estado de Minas

PSB rejeita veto do PT ao PSDB para aliança em BH

Possibilidade de apoio à reeleição de Márcio Lacerda geram impasse


postado em 20/09/2011 06:00 / atualizado em 20/09/2011 07:45

 A direção estadual do PSB mandou nessa segunda-feira dois recados claros ao PT: não vai aceitar imposições por parte da legenda e a única chance de os socialistas não estarem ao lado do PSDB na candidatura à reeleição do prefeito Marcio Lacerda (PSB) é os tucanos recusarem o convite – formalizado nessa segunda-feira – para integrar a chapa. A expectativa do PSB é repetir em 2012 a aliança com PSDB e PT, mas uma ala petista ainda resiste a essa possibilidade e na semana passada aprovou resolução vedando coligação com partidos da oposição ao governo Dilma Rousseff (PT), entre eles o PSDB.

De acordo com o presidente estadual do PSB, Walfrido Mares Guia, o imbróglio terá que ser resolvido pelo PT, que está “criando problemas”. “A coligação é com o PSB. E o PSB não aceita, convida seus parceiros para a coligação, mas não pode aceitar veto. Não fica bonito para partido nenhum vetar esse ou aquele outro partido numa coligação”, afirmou, ao ser questionado sobre a postura do PT.

Segundo ele, o PSB não vai “escolher” uma legenda para se aliar. “Se eles (PT) estão criando o problema, eles analisem e resolvam o problema, não nós”, completou. Walfrido Mares Guia disse ainda que o convite para que os atuais parceiros integrem formalmente a aliança no ano que vem é uma questão de “gentileza, obrigação e inteligência”.

Composição
Participaram da reunião nessa segunda-feira integrantes das direções do PSB e PSDB e alguns dos principais líderes. O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, evitou comentar o assunto. Disse apenas que “o futuro dirá” se a história de 2008 será ou não repetida e que o convite feito nessa segunda-feira ao PSDB é para uma coligação formal Segundo os participantes, não foi discutida a composição da chapa, ou seja, a quem seria oferecida a candidatura a vice: ao PT ou ao PSDB. Há três anos, a vice foi oferecida ao PT enquanto o PSDB participou apenas informalmente.

Pré-candidato do PSDB a prefeito da capital, o deputado estadual e presidente do diretório municipal, João Leite,  disse que só vai dar a resposta depois de transmitir o convite à executiva tucana. Na semana passada, teve uma conversa com o senador Aécio Neves (PSDB), que defende a reedição da aliança. “Para o PSDB é importante conversar com PSB, temos presença na Prefeitura”, afirmou. Segundo ele, a questão sobre a indicação de vice não foi discutida internamente. 


Publicidade