Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Importância de manter a saúde mental na quarentena


postado em 27/05/2020 04:00

Diogo Lara
Médico psiquiatra, Ph.D em neurociências, psicoterapeuta, ex-professor titular e pesquisador da PUCRS, e CEO e fundador do Cíngulo, aplicativo de terapia guiada que ajuda no autocuidado emocional das pessoas

Cuidar da nossa saúde mental tem sido cada vez mais essencial para que possamos saber lidar com todos os problemas e situações adversas que encontramos no nosso dia a dia. Para se ter uma ideia do quão grave é ignorar sinais que apontam traços de algum transtorno mental, mapeamento realizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) mostra que existem mais de 12 milhões de pessoas com depressão no Brasil, sendo nós o país da América Latina com o maior índice de indivíduos com o problema – no mundo, são mais de 264 milhões.

Desde que o novo coronavírus foi declarado como pandemia mundial e se decretou o isolamento social como uma das medidas para evitar a propagação do vírus e diminuir os altos índices de contágio, uma das preocupações dos terapeutas e profissionais de psicologia e psiquiatria tem sido encontrar soluções e tratamentos eficientes para manter a saúde mental da população.

Levantamento realizado pelo Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) aponta que, desde o início da quarentena, os casos de depressão dobraram, saltando de 4,2% para 8% – enquanto os índices de ansiedade foram de 8,7 para 14,9%.

Diante do cenário atual, fatores como medo, incertezas de como será a vida pós-coronavírus, desemprego, risco de contaminação e reclusão por causa da contaminação são gatilhos que corroboram com o aumento de casos de ansiedade, depressão, vícios e até mesmo de suicídios. Mas a boa notícia é que há no mercado soluções tecnológicas que auxiliam no autocuidado emocional e psicológico.

Aplicativos já permitem que os usuários façam uma autoavaliação e, por meio das características de comportamento identificadas, sessões terapêuticas são desenvolvidas com o propósito de auxiliar no tratamento de diversos quadros emocionais. O que as pessoas precisam entender, ainda mais agora, é que é muito difícil evoluir sozinho e que o autoconhecimento é necessário para manter a saúde mental em dia.

Se eu posso dar uma recomendação, usufrua da melhor forma das ferramentas disponíveis e que podem ajudar você a entender melhor seus sentimentos. Busque a ajuda de profissionais qualificados e não feche os olhos para algumas evidências que podem ser indicativos de problemas. Quanto antes você cuidar da sua mente, melhor será o resultado do seu tratamento e menor os riscos de agravamentos. Pense nisso!

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade