Publicidade

Estado de Minas

Fôlego para o mercado das criptomoedas

O criptoativo tem um potencial de crescimento enorme pela frente


postado em 06/04/2020 04:00

Daniel Coquieri
COO e cofundador da BitcoinTrade, corretora especializada no mercado brasileiro de criptomoedas
 
A pandemia do coronavírus chegou, silenciosamente, e assustou o mundo todo. Com isso, paí-           ses entraram em quarentena, as pessoas tiveram que sair das ruas para não correr o risco de ser contaminadas pelo invisível e, consequentemente, reduziram o consumo. Dessa forma, todo o cenário econômico mundial foi abalado.

Criado na última crise do mercado imobiliário americano em 2008, o bitcoin teve um queda de 50% do seu valor, logo nos primei- ros dias da atual crise universal, so- frendo com o efeito manada de todos os mercados globais sendo impactados, assim como o mercado de criptomoedas. Com dias de muita volatilidade, ora as moedas digitais apresentaram queda, ora apresentavam uma valorização entre 10% e 15%. Essa oscilação se dá por- que, com o choque econômico, as pessoas que investem nesses dois mercados ficaram desesperadas e começaram a vender suas moedas digitais para pegar o dólar ou o real e pagar suas despesas do dia a dia ou usar em emergências.

Porém, dife- rentemente do mercado tradicional, que é impactado pela paralisação, as criptomoedas têm um grande potencial de recuperação. Por conta da sua independência, já apresentam uma melhora em suas cotações e têm uma perspectiva de crescimento mais rápida que as bolsas. O criptoativo tem características que nenhum outro investimento possui e um potencial de crescimento enorme pela frente.

O bitcoin irá recuperar mais ra- pidamente o seu valor, uma vez que quando o mercado passar a receber um número menor de notícias negativas, os investidores irão retornar a confiança em investir. Na última semana, a cotação dessa criptomoeda já voltou a subir e atingiu uma alta de 10% em dólar.

Com toda essa oscilação no mercado e esse tipo de ativo com baixa liquidez, é importante entender que toda cautela é pouca. Mas continuo acreditando, a longo prazo, na melhor aplicação da tecnologia e também na valorização do seu preço. Portanto, expor uma parte do seu patrimônio pensando a médio e longo prazo em bitcoin é uma decisão inteligente.

E no meio de tudo isso, temos também o halving pela frente em poucas semanas (7 de maio de 2020) e, com certeza, a crise do coronavírus impactará no seu desempenho. Antes dessa pande- mia, a expectativa era de que a criptomoeda se valorizasse durante o evento. Hoje, com o novo cenário econômico, a valorização não é uma certeza, mas ainda há a expectativa de que, com o corte da emissão de novos bitcoins pela metade no mercado, o preço do ativo possa subir, uma vez que   existirá menos oferta.
 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade