UAI
Publicidade

Estado de Minas RETROSPECTIVA

Morte de Marília Mendonça, fracasso do Enem: os fatos importantes de 2021

Relembre os acontecimentos mais expressivos deste ano em todo território nacional


29/12/2021 13:31 - atualizado 29/12/2021 14:50

montagem com as fotos da cantora Marília mendonça. mulher chorando no julgamento da boate Kiss e o menino Henry Borel
os fatos que marcaram 2021 (foto: InPress/ Divulgação; Reprodução/TJ-RS; redes sociais/ reprodução)
No Brasil, 2021 foi um ano de muitas tragédias que refletem os problemas do país. Um dos maiores nomes do humor brasileiro, Paulo Gustavo, foi vítima da crise pandêmica de covid-19.

Milhões de estudantes se viram obrigados a faltar o Enem 2020 por não se sentirem em segurança para fazer a prova no auge da pandemia. A absolvição do acusado de drogar e estuprar a influenciadora Mari Ferrer causou revolta. 

Abaixo, veja os principais pontos do ano:

Recorde de faltantes no Enem 2020


Após intensa movimentação de entidades estudantis para a suspensão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, a edição ainda ocorreu, em 17 de janeiro, e foi o maior fracasso da histórica avaliação brasileira. Cerca de 51% dos inscritos não foram fazer o teste no primeiro dia de provas, que testa os conhecimentos em linguagens e códigos, ciências humanas e redação. O índice corresponde a cerca de 2,8 milhões de candidatos.

No segundo dia de provas, em 24 de janeiro, o recorde foi quebrado mais uma vez: 55% não compareceram nos locais de provas: foram 2,8 milhões de faltantes. O Enem Digital, por sua vez, aplicado em 7 de fevereiro, registrou mais uma marca histórica: 71,3% dos inscritos não fizeram a prova.

Os estudantes já reclamavam, antes da edição, sobre a sensação de falta de segurança em fazer as provas durante o auge da pandemia da covid-19. Os pedidos foram ignorados pelo Ministério da Saúde, que classificou como “satisfatória” a edição, mesmo com centenas de denúncias de inscritos que não conseguiram fazer a prova por superlotação das salas.

Caso Henry Borel

Em março de 2021, o Brasil ficou em choque com a morte do menino Henry Borel. A criança de 5 anos foi levada morta ao hospital pela mãe, Monique Medeiros, e pelo padrasto, o então vereador do Rio de Janeiro, Jairinho. A perícia constatou que a criança foi morta com inúmeros fraturas e hemorragia no fígado. O casal foi indiciado por homicídio e o julgamento começou em novembro.

Paulo Gustavo

Paulo Gustavo segura o rosto do marido Thales Bretas
Thales Bretas e Paulo Gustavo; comediante morreu de covid-19 e deixou marido e dois filhos (foto: Instagram/ reprodução )
O Brasil perdeu um dos gênios do humor da nova geração. Cheio de personalidade — e representatividade —, Paulo Gustavo não resistiu a complicações da covid-19 e morreu em 4 de maio, aos 42 anos. Ele esteve internado por quase um mês e foi acompanhado de perto pelos profissionais de saúde do Hospital Copa Star, em Copacabana (RJ), e pelos familiares, incluindo o marido, o dermatologista Thales Bretas. O humorista faleceu após sofrer uma embolia gasosa disseminada, causada por uma fístula bronquíolo-venosa.

Paulo deixou uma legião de fãs e pessoas que o admiravam pela excelência do trabalho e generosidade. O astro se formou em teatro em 2004 e ganhou as telonas e as famílias brasileiras com a estreia de Minha mãe é uma peça em 2013, e logo ganhou renome e comandava com maestria os programas 220 volts e a sitcom Vai que cola.

Ele deixou o marido, com quem era casado desde 2015, e os filhos Gael e Romeu, nascidos em 2019.

Amiga psicopata

Em 15 de setembro, veio à tona o assassinato da jovem Ariane Bárbara Laureano, de 18 anos, chocou o Brasil. A moradora de Goiânia foi assassinada por três conhecidos para que um deles, Raíssa Borges, “descobrisse” se ela era psicopata. De acordo com a Polícia Civil, Raíssa, de 19 anos, compartilhou com os amigos Jeferson Cavalcante, de 22 anos,e Enzo Jacomini, de 18 anos, que achava que era psicopata, mas precisava experimentar a sensação de “matar alguém” para tirar “a dúvida”.


O trio escolheu Ariane, conhecida por eles, por ser pequena e ter pouca chance de fugir no momento do crime. Eles convidaram a jovem para uma festa e a buscaram em casa, em um carro. Depois de algumas voltas, Jeferson estalou os dedos e o crime se desenrolou. Enzo enforcou Ariane até ela desmaiar, em seguida Raíssa desferiu golpes de faca na menina, que faleceu. Ela foi encontrada sete dias depois, em 31 de agosto.

Caso Mari Ferrer

Um ano depois de vir à tona um vídeo que mostra a influenciadora Mari Ferrer sendo humilhada durante uma sessão de julgamento, o empresário André Aranha, acusado de estuprá-la, foi absolvido por falta de provas. O caso, que mobilizou milhares de pessoas em protestos, teve uma repercussão tão grande que virou lei. A lei Mari Ferrer, que pune casos de constrangimentos sofridos por vítimas de violência sexual, foi sancionada em novembro.

Morte de Marília Mendonça

avião monomotor caído no meio de cachoeira em Minas
Avião que estava Marília Mendonça caiu em uma cachoeira em Caratinga, Minas Gerais; cantora iria fazer um show na cidade (foto: Reprodução/WhatsApp)
Faltavam apenas 4 km para a cantora Marília Mendonça e sua equipe concluírem a viagem entre Goiânia e Caratinga, em Minas Gerais, onde ela faria um show no dia 5 de novembro. Um vídeo, compartilhado nas redes, mostra a cantora alegre antes do que seria o último voo da vida dela. O bimotor caiu em uma cachoeira após bater em uma torre de energia. Ninguém sobreviveu. A investigação das causas do acidente ainda está em andamento. O luto pela morte da artista goiana mobilizou mais de 100 mil pessoas em seu velório. O fenômeno Marília Mendonça ainda deixou mais de 300 músicas inéditas e parcerias com outros artistas.

Júri Boate Kiss

Quase nove anos depois da tragédia do incêndio na Boate Kiss, a justiça de Santa Catarina condenou, após 10 dias de júri, quatro réus pelas mortes de 242 vítimas e a tentativa de homicídio de 636 pessoas. Os dois sócios da Boate levaram as maiores penas: Elissandro Spohr foi condenado a 22 anos e 6 meses de reclusão, enquanto Mauro Hoffmann foi condenado a 19 anos e 6 meses.

Nova tratamento HIV

Em dezembro, a Anvisa aprovou um novo tratamento contra o HIV. Ele reúne em uma única dose diária os antirretrovirais lamivudina e dolutegravir sódico, que não estavam disponíveis em um só comprimido. O novo remédio simplifica o tratamento para quem convive com a doença.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade