Publicidade

Estado de Minas VIOLÊNCIA

DF: estuprador em série traçava perfil das vítimas antes do ataque

Ataídes Xavier da Trindade escolhia mulheres magras, entre 16 e 19 anos. Para atrair vítimas, ele se passava por motorista de transporte clandestino


14/05/2021 07:57

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)
Preso e condenado duas vezes por estupro, um homem, de 54 anos, voltou a cometer o mesmo crime no Distrito Federal e fez, ao menos, quatro novas vítimas entre 2013 e 2019. Casado e pai de um filho maior de idade, Ataídes Xavier da Trindade, morador de Planaltina, no Distrito Federal, escolhia mulheres magras, com idades entre 16 e 19 anos.

Para atrair as vítimas, o criminoso se passava por motorista de transporte clandestino e abordava as jovens nas paradas de ônibus, semelhante ao modo utilizado pelo cozinheiro Marinésio dos Santos Olinto, assassino confesso da advogada Letícia Curado, 26 anos, e da auxiliar de cozinha Genir Pereira, 47.

Ataídes foi preso nesta quarta-feira (12/5) por policiais da 6ª Delegacia de Polícia (Planaltina), que cumpriram o mandado de prisão preventiva. As investigações começaram há cinco meses, após a equipe tomar conhecimento de uma tentativa de estupro contra uma jovem de 19 anos, ocorrido em janeiro deste ano, em Planaltina. A vítima só não foi estuprada porque conseguiu abrir a porta do carro e correr.

“No trajeto que ela fez com o agressor, ele desviou o percurso que deveria tomar e, a partir desse momento, anunciou o crime. Percebendo que seria atacada, a mulher conseguiu se desvencilhar, saiu do carro e fez o registro da ocorrência”, detalhou o delegado à frente do caso, Rodrigo Mendes, da 16ª DP.

Com as informações, os investigadores identificaram as características físicas do homem e o veículo que ele utilizava para cometer os crimes, um Corsa vermelho. Os dados colhidos levaram os policiais até uma ocorrência registrada no final de 2019 de um estupro consumado, também em Planaltina, aos fundos do Departamento de Estradas e Rodagem (DER). Peritos técnicos, por meio do Banco de Perfis Genéticos, analisaram o material genético e chegaram à conclusão de que havia uma conexão entre o caso de 2019 com os outros três estupros praticados em outras regiões do DF.

Um dos estupros aconteceu em 2013, em uma passagem subterrânea de pedestres da Asa Norte. À época, após abusar da jovem, o homem roubou o dinheiro da vítima. Dos quatro fatos, duas das vítimas eram adolescentes e tinham 16 anos.

Modo de agir

Ataídes atacava as mulheres sempre no período noturno, entre 20h30 e 21h. Morador do bairro Pombal, em Planaltina, o criminoso não tinha trabalho fixo e fazia bicos como pedreiro. Durante à noite, ele saía de casa e, no carro, passava pelas paradas de ônibus na tentativa de abordar alguma mulher.

O delegado-chefe da 16ª DP, Diogo Cavalcante, explica que o agressor agia de modo peculiar. Ele chegava na parada, anunciava ser motorista de transporte pirata para conseguir que a vítima embarcasse. No caminho, Ataídes desviava o caminho e ia para locais afastados, com pouca movimentação de pessoas. “Ali, ele anunciava o crime com grave ameaça de que mataria a vítima”, detalhou.

No entanto, em nenhum dos casos, constatou-se que o homem estava armado. Em 1990 e em 2002, Ataídes chegou a ser preso pelo mesmo crime. Preso, ele deve responder pelos crimes de estupro e estupro tentado. Em relação às vítimas menores de idade, a pena passa de 6 a 10 anos para 8 a 12 anos de prisão.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade