Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Miguel Nicolelis sobre COVID: 'Pode ser a maior catástrofe da história'

No dia que o país registrou 1.910 óbitos, o recorde da pandemia, o cientista afirma que todos os estados deveriam decretar lockdown


03/03/2021 21:39 - atualizado 03/03/2021 22:24

Miguel Nicolelis alerta sobre o Brasil não cumprir medidas mais duras(foto: Divulgação)
Miguel Nicolelis alerta sobre o Brasil não cumprir medidas mais duras (foto: Divulgação)

Um dos mais famosos médicos do Brasil, o neurocientista Miguel Nicolelis disse que o país “viverá a maior catástrofe de sua história” se não adotar lockdown geral para desafogar o sistema de saúde e frear a expansão de casos e mortes por coronavírus. Em entrevista ao Globo News em Pauta nesta quarta-feira (3/3), ele considerou que março pode ser o pior mês da pandemia no Brasil, com até três mil mortes diárias.
 
“Com os aeroportos abertos, sem nenhum controle e bloqueio sanitário na malha rodoviária brasileira e sem lockdowns verdadeiros, onde você também fecha escolas e outras atividades, teremos uma das maiores catástrofes do mundo e maior da história brasileira”, avisa o especialista.

Nesta quarta-feira, o Brasil registrou mais de 71,7 mil casos e o recorde de 1.910 mortes em 24 horas. O país totaliza 259.271 mortes e mais de 10,milhões de infectados.

Integrante do comitê científico do Nordeste no ano passado, ele criticou o fato de o Brasil não ter feito medidas mais rígidas para tentar bloquear o aumento das taxas de transmissão do vírus. 

“Na realidade, como não existe vacina disponível nesse instante, há outras medidas que podem ser tomadas a nível nacional, que devem ser usadas para combater e reduzir drasticamente as taxas de transmissão. Como Reino Unido, Alemanha e outros países, precisa adotar todas esses medidas, inclusive um lockdown nacional. Não tem como escapar dessa realidade”. 

“Tínhamos previsto 2 mil óbitos por dia na semana que vem. Chegamos a quase isso agora. Então estamos acelerando esse processo. Então, até o fim de março, podemos chegar a 3 mil óbitos por dia”, acrescentou o médico.  

Nicoleles também criticou a ação de governadores que criaram leitos nos hospitais, mas permitiram que as taxas de transmissão continuassem altas: “Ninguém ganha a guerra da pandemia criando leitos de UTIs. Você só ganha se for na trincheira do inimigo e quebrar a transmissão lá”.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade