Publicidade

Estado de Minas Imunização

Pfizer pede à Anvisa o registro definitivo de vacina contra a COVID-19

Quando finalizado, o registro concedido pela Anvisa será o sinal verde para que a vacina seja comercializada, distribuída e utilizada pela população


06/02/2021 10:16

(foto: JOEL SAGET / AFP)
(foto: JOEL SAGET / AFP)
A Pfizer/BioNTech enviou neste sábado (6/2) à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o pedido para o registro definitivo da vacina COMIRNATY, contra a covid-19. A empresa é a segunda farmacêutica a avançar dessa forma no Brasil. A primeira foi a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) com a vacina de Oxford.

Quando finalizado, o registro concedido pela Anvisa será o sinal verde para que a vacina seja comercializada, distribuída e utilizada pela população, nos termos da indicação estabelecida na bula.

A farmacêutica anunciou que sua vacina contra a covid-19 é segura e tem 95% de eficácia. A vacina foi testada em 43,5 mil pessoas de seis países e, em setembro, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou que seus testes clínicos fossem ampliados no Brasil, de mil para dois mil testes em voluntários. Os testes foram feitos em São Paulo e Bahia.

Vacinas no Brasil

O Brasil adquiriu, até o momento, 46 milhões de doses da vacina do Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac, com opção de compra de mais 54 milhões. O país recebeu também, da Índia, 2 milhões de doses da Astrazeneca, com opção de importação de mais doses, além de previsão de produção, pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), de 100,4 milhões de doses no primeiro semestre e 110 milhões de doses no segundo semestre.

Há ainda, segundo o ministério, a possibilidade de aquisição de 42,5 milhões de doses pelo mecanismo Covax Facility, articulado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade