Publicidade

Estado de Minas PLANO COMPROMETIDO

Fiocruz adia para março entrega de vacinas da Oxford

Fundação informou ao Ministério Público Federal (MPF) que prazo para finalizar elaboração das doses no Brasil e análise de qualidade são as causas do atraso


19/01/2021 20:29 - atualizado 19/01/2021 22:14

Enfermeira segura a vacina da Oxford/AstraZeneca em hospital de Kolkata, na Índia. Entrega do imunizante deve atrasar no Brasil(foto: Dibyangshu Sarkar/AFP)
Enfermeira segura a vacina da Oxford/AstraZeneca em hospital de Kolkata, na Índia. Entrega do imunizante deve atrasar no Brasil (foto: Dibyangshu Sarkar/AFP)
A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) só deve entregar as primeiras doses da vacina da Oxford/AstraZeneca, que serão produzidas no Brasil, em março. A previsão inicial era que esses imunizantes fossem entregues já na primeira semana de fevereiro, o que compromete ainda mais o plano nacional de vacinação.

 

As informações foram enviadas em ofício ao Ministério Público Federal (MPF). No documento, a fundação informa ao MPF que precisará de mais tempo para finalizar as vacinas no Brasil. O componente ativo da vacina vem da China, por meio de parceria da AstraZeneca, e deve chegar ao país neste sábado (23), previsão que carece de confirmação.

"A chegada do primeiro lote do IFA está prevista para o dia 23/01/2021, mas ainda aguardando confirmação, e, a partir desta data, serão entregues mais 30 (trinta) lotes, em intervalos de 2 semanas, resultando na quantidade suficiente para a produção de 100,4 milhões de doses da vacina acabada", diz o documento, que é assinado pelo diretor do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos, Maurício Zuma Medeiros.

 

Portanto, além do prazo para elaborar o imunizante, a Fiocruz precisa de mais tempo, cerca de 20 dias, para realizar testes de qualidade na vacina. Com isso, as doses só estarão prontas no início de março.

 

Porém, caso o componente ativo ou a vacina não passar nos testes de qualidade, esse prazo de entrega para o início de março pode ser estendido.

 

O mesmo vale para a possibilidade de atraso na entrega do componente ativo, ou seja, para além deste sábado.

"Estima-se que as primeiras doses da vacina sejam disponibilizadas ao Ministério da Saúde em início de março de 2021, partindo da premissa de que o produto final e o IFA apresentarão resultados de controle de qualidade satisfatórios, inclusive pelo INCQS. Importa mencionar que o período de testes, relativos ao controle de qualidade, está estimado em 17 dias, contados da finalização da respectiva etapa produtiva, acrescidos de mais 2 dias de análise pelo INCQS."

 

Em audiência pública na Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19, da Câmara dos Deputados, em 22 de dezembro, a presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade, disse que, pelo calendário programado, nas semanas de 8 a 12 de fevereiro e de 15 a 19 de fevereiro, seriam entregues 1 milhão de doses da vacina da Oxford/AstraZeneca.

 

A partir da terceira semana, de 22 a 26 de fevereiro, seriam 700 mil doses diárias da vacina, o que totalizaria 3,5 milhões de doses por semana.

 

Conforme o ofício, essa previsão vai por água abaixo agora.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade