Publicidade

Estado de Minas CASO DE POLÍCIA

Homem exige que bar frite um sapo e caso acaba na polícia em Brazlândia

Grupo de amigos embriagados queria que funcionário de quiosque fritasse o animal; funcionário se recusou e envolvidos se desentenderam e acabaram na delegacia


30/10/2020 15:32 - atualizado 30/10/2020 15:43

O animal foi devolvido ao lago de onde foi tirado depois que o funcionário do quiosque se recusou a fritá-lo(foto: Bruno Tayar Marinho do Nascimento/Divulgacao)
O animal foi devolvido ao lago de onde foi tirado depois que o funcionário do quiosque se recusou a fritá-lo (foto: Bruno Tayar Marinho do Nascimento/Divulgacao)
Em Brazlândia, no Distro Federal, um grupo de cerca de 15 pessoas foi responsável por gerar uma confusão generalizada em um quiosque da região. Segundo informações da Polícia Civil do DF (DF), um homem deste grupo teria pegado um sapo em um lago no local e exigido que um funcionário do estabelecimento fritasse o animal como petisco. O servidor se recusou e os dois começaram a discutir

Segundo os relatos prestados aos policiais civis, o grupo estava bebendo no local desde cedo. Pela noite, um dos integrantes pegou um sapo em um lago próximo e levou até o bar. "Frita aí", teria dito o indivíduo. O funcionário não gostou da atitude e pediu que ele tirasse o animal de lá. Neste momento, os dois começaram a discutir.

Ao perceberem o desentendimento, os outros integrantes do grupo também começaram a afrontar o funcionário. Após discussões, xingamentos e agressões, o dono do quiosque, que também estava presente no local e tem porte de arma, deu um tiro para cima a fim de dispersar o grupo. 

O caso aconteceu na noite do último domingo (25/10). Após o fim da confusão, a Polícia Militar foi acionada. Sete indivíduos do grupo foram identificados, além das quatro pessoas presentes no bar. Todos foram encaminhados para a 18ªDP (Brazlândia) para prestar depoimento

Segundo informações da PCDF, os integrantes do grupo estariam embriagados. Eles serão investigados por lesão corporal e injúria. Já o dono do bar, por disparo de arma de fogo. O sapo foi devolvido ao lago de onde foi tirado.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade