Publicidade

Estado de Minas RIO DE JANEIRO

Flordelis ofereceu filha sexualmente a pastores, diz testemunha

Cada vez mais denúncias recaem sobre a deputada federal Flordelis, entre elas, a de sua permissão de que filha mantivesse relação sexual com o Pastor Anderson, em uma dinâmica familiar única


31/08/2020 13:56 - atualizado 31/08/2020 17:44

Deputada federal Flordelis (PSD-RJ)(foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil)
Deputada federal Flordelis (PSD-RJ) (foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil)
Denunciada como possível mentora do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ), segundo o depoimento de uma testemunha ao Ministério Público do Rio de Janeiro, teria oferecido sexualmente uma de suas filhas a pastores evangélicos. Segundo o relato, a líder evangélica recebeu pastores pentecostais estrangeiros em sua casa, em evento em que a oferta teria sido colocada na mesa.

A denúncia apresentada no domingo (30), no programa Fantástico, da TV Globo, apontou ainda que uma das filhas afetivas mantinha relações sexuais com o pastor Anderson, e uma rotina em casas de swing na capital fluminense. "Anderson [...], com a permissão de Flordelis [...] se relacionava sexualmente" com uma das filhas, que "não gostava dessa situação, mas obedecia", diz a testemunha. Ainda de acordo com o Fantástico, a denúncia aponta para uma "completa dissociação entre a imagem construída e as práticas do grupo familiar".


Outra denúncia que também foi apresentada envolvendo Flordelis foi de que seu único filho biológico com Anderson do Carmo, teria, no entanto, sido roubado da mãe biológica e registrado como filho do casal.

O casal tinha 55 filhos, quatro deles, biológicos, dos quais Lucas de Souza e Flávio Rodrigues, já estavam presos acusados do assassinato do pastor. Anderson do Carmo foi morto em de junho de 2019, dentro da casa onde morava com a deputada e parte da prole, em Niterói (RJ). Dois dias depois do crime, policiais encontraram a arma usada para matar Anderson enrolada em um pano, em um armário, na casa da família.

O motivo do crime “seria o fato de a vítima manter rigoroso controle das finanças familiares e administrar os conflitos de forma rígida, não permitindo tratamento privilegiado das pessoas mais próximas a Flordelis, em detrimento de outros membros da numerosa família”.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade