Publicidade

Estado de Minas RECORDE NEGATIVO

Pela primeira vez, Brasil registra mais de mil mortes por COVID-19 em 24 horas

Essa é a primeira vez que o país registra mais de mil óbitos de um dia pro outro. Ao todo, são 17.971 mortes


postado em 19/05/2020 19:28 / atualizado em 19/05/2020 21:25

(foto: Divulgação/ Fiocruz)
(foto: Divulgação/ Fiocruz)

O Brasil registrou nas últimas 24 horas 1.179 mortes em 24 horas e 17.408 novos diagnósticos positivos para o coronavírus. Conforme o boletim do Ministério da Saúde desta terça-feira, o país agora contabiliza 17.971 mortes e 271.628 casos da doença. Para conter o avanço já quase fora de controle, vários municípios brasileiros já convivem com restrições ainda maiores de isolamento social. 
 
O balanço anterior da pasta federal registrava 16.792 mortes e 254.220 casos. De domingo para segunda, tinham sido contabilizados 674 novos óbitos. Esse é o novo recorde de mortes registradas em apenas 24 horas. Conforme o Ministério da Saúde, apenas em maio foram contabilizadas 12.070 mortes por COVID-19.



O recorde de mortes até então tinha sido registrado na semana passada, quando foram contabilizadas 881 mortes. O boletim anterior ainda contabilizou 13.140 novos diagnósticos positivos da doença.  

Conforme ressalta o Ministério da Saúde, os novos registros em 24 horas não indicam efetivamente quantas pessoas faleceram ou se infectaram de um dia para o outro, mas sim o número de registros que tiveram o diagnóstico de coronavírus confirmado nesse intervalo.

Na segunda-feira, segundo plataforma da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, o Brasil ultrapassou os britânicos no número de casos. Agora, o país é o terceiro que mais têm casos de COVID-19 - atrás de EUA (1.525.367) e Rússia (299.941). Em relação aos óbitos, o Brasil é sexto; a Espanha, em quinto, tem 27.778 mortes.

Só na semana passada, o Brasil já tinha passado a Alemanha, França, Itália e Espanha no número de casos.

Vale ressaltar que, conforme estudiosos vêm apontando nas últimas semanas, os números de testes feitos no país ainda são muito inferiores ao restante do mundo.

Estados

São Paulo é o estado com o maior número de infectados e mortos e está bem à frente do restante do país. Ao todo, são 65.995 e 5.147, respectivamente. O boletim anterior apontava 63.066 casos e 4.823 óbitos. A taxa de letalidade atual da doença no estado é de 7,79%

O Ceará, que vem oscilando entre segundo e terceiro lugar no número de casos, voltou a ser o segundo estado com maior número de diagnósticos positivos. Ao todo, o estado tem 28.112  casos e 1.856 mortes. No boletim anterior, eram 26.363 e 1.748, respectivamente.

A terceira unidade federativa que mais registra casos é o Rio de Janeiro. De acordo com o Ministério da Saúde, o estado tem 27.805  casos e 3.079 mortes por COVID-19. Antes, eram 26.665 e 2.852, respectivamente. Em número de mortes, o estado é o segundo. 

O Amazonas é o quarto estado com maior número de casos. O estado, que já vive um colapso no sistema de saúde, registra 22.132  pessoas diagnosticadas com a doença e 1.491  mortos. Segundo o ministério, a doença no estado tem uma taxa de letalidade de 6,7% . 

O boletim anterior do Ministério da Saúde apontava que o Amazonas tinha 20.913  casos e 1.433 óbitos. Por lá, a situação é tão crítica que o setor funerário já enfrenta dificuldades e luta para não entrar em colapso.

Pernambuco, o quinto estado com o maior número de casos,  contabiliza 21.242  pessoas diagnosticadas e registra 1.741 mortes – a taxa de letalidade é de 8,19%.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade