Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS NO BRASIL

Coronavírus: Mandetta faz apelo para que população doe máscaras aos hospitais

Ministro da Saúde disse que adquiriu insumos como EPIs e outros equipamentos, mas sem data certa para a entrega


postado em 30/03/2020 19:08 / atualizado em 30/03/2020 19:24

(foto: Isac Nóbrega/PR)
(foto: Isac Nóbrega/PR)
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, aproveitou a coletiva de imprensa nesta segunda-feira (30) para fazer um apelo à população sobre a necessidade de máscaras nos hospitais. O chefe da pasta afirmou que centros médicos e secretarias municipais e estaduais de saúde estão recebendo itens do tipo N95 para uso dos profissionais.
 
Mandetta fez o pedido após afirmar que comprou 200 milhões de itens, como Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e outros aparelhos, junto à indústrias chinesas, que reabiram a produção recentemente, uma vez que o país foi o epicentro dos casos de coronavírus (COVID-19)
 
“A China reabriu as vendas e saídas de materiais tem 12 dias. Competimos com o mundo inteiro, já que lá concentra 94% desses insumos. Hoje conseguimos fechar a compra de 200 milhões de itens. Já temos 92% da produção chinesa voltando ao normal”, disse o ministro.
 
No entanto, o chefe da pasta da saúde alertou sobre o prazo de entrega, que pode durar até 30 dias. Para agilizar o transporte dos materiais até os centros médicos, Mandetta trabalhará em parceria com o Ministério de Infraestrutura, comandado por Tarcísio Gomes de Freitas.
 
“Eles (chineses) têm até 30 dias para entregar. Vamos avaliar o tempo. Pode ser que o Tarcísio faça uma logística internacional para buscar os materiais. Hoje o nosso maior desafio do ministério é a burocracia. A embaixada do Brasil na China poderá pagar e conferir os produtos. Estamos trabalhando com muita agilidade, mas precisamos de um conforto para andarmos bem. A saúde continua técnica, continua científica”, concluiu.
 
O Ministério da Saúde atualizou o boletim sobre o coronavírus (COVID-19) nesta segunda. O número de mortes pela doença chegou a 159, 23 a mais que os dados divulgados nesse domingo (29), atingindo uma taxa de letalidade de 3,5%. Ao todo, são 4.579 casos confirmados em todo o país. Apesar de alto, o índice apresentou redução pelo terceiro dia seguido.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade