Publicidade

Estado de Minas

Localização geográfica não interfere na disseminação de coronavírus, diz infectologista

O presidente da Sociedade Mineira de Infectologia afirma que clima quente não dificulta transmissão. População com menor imunidade ao vírus aumenta chance de contágio


postado em 27/02/2020 17:34

Confirmação de um caso de contaminação pelo novo coronavírus em São Paulo levou ao aumento da procura por máscaras em drogarias(foto: Sidney Lopes/EM/D.A Press)
Confirmação de um caso de contaminação pelo novo coronavírus em São Paulo levou ao aumento da procura por máscaras em drogarias (foto: Sidney Lopes/EM/D.A Press)

Não há nenhuma evidência científica que comprove a dificuldade ou facilidade de o coronavírus se reproduzir em países de clima tropical, com temperaturas acima dos 25°C. A informação é do presidente da Sociedade Mineira de Infectologia, Estêvão Urbano.

Depois da confirmação de um caso da doença, em São Paulo, circularam mensagens nas redes sociais dizendo que o vírus não conseguiria se alastrar no Brasil, por causa das temperaturas mais quentes.

“Esse vírus é muito novo e se conhece muito pouco sobre essas questões. O vírus sobrevive muito bem nessa temperatura quente de verão”, afirma Urbano.

Segundo o especialista, o que pode contribuir para evitar disseminação é a ventilação.

“O que facilita uma certa contenção em ambientes quentes é porque, geralmente, eles são mais ventilados. É um fator que diminui a chance de transmissão. Em ambientes frios, as pessoas ficam mais em locais fechados”, diz.

O infectologista ainda alerta que os brasileiros não tem imunidade prévia em relação a esse novo microorganismo, que começou a circular na China no fim do ano passado.

“A chance de infectar é muito maior, pois o vírus está pegando uma população imunologicamente despreparada. Mas, em que níveis isso se agrava e em que proporções pode atingir, são hipóteses”, ressalta.

Chega a nove o número de pacientes que receberam atendimento médico por suspeita de infecção pelo novo coronavírus em Minas Gerais. Esse número se refere aos casos em oito municípios do estado.

Transmissão

As investigações sobre as formas de transmissão do coronavírus ainda estão em andamento, mas o Ministério da Saúde alerta que a disseminação de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação por gotículas respiratórias ou contato, está ocorrendo.

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

A recomendação é ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com a mão em frente a boca.

 


Publicidade