Publicidade

Estado de Minas

Motorista de aplicativo morre afogado em garagem de prédio em São Paulo

Temporal inundou parte do prédio na zona norte da capital paulista. Vítima tinha 62 anos


postado em 24/12/2019 08:39 / atualizado em 24/12/2019 08:54

Garagem do edifício foi inundada durante temporal ontem(foto: Reprodução da internet/Google Maps)
Garagem do edifício foi inundada durante temporal ontem (foto: Reprodução da internet/Google Maps)


As fortes chuvas que atingiram São Paulo na segunda-feira, 23, alagaram ruas e avenidas, o subsolo de um prédio comercial e duas estações de Metrô. O motorista de aplicativo Jorge Garcia da Costa, de 62 anos, morreu em meio à inundação do edifício, em Santana, na zona norte.

Segundo o capitão Alexandre Veloso, do Corpo de Bombeiros, após os passageiros desembarcarem, ele foi surpreendido por uma enxurrada que invadiu rapidamente a garagem do local, na Rua Ezequiel Freire. "Pessoas que trabalhavam no prédio ainda tentaram salvá-lo, jogando uma mangueira, mas não conseguiram", diz Veloso.

O empresário Cristian Maia, de 43 anos, foi um dos que ajudaram. "Ouvi gritos de socorro quando estava no térreo e consegui vê-lo já fora do carro, mas estava mais para o fundo da garagem. A mangueira do hidrante era curta e não alcançou."

Ele diz que o motorista havia deixado os passageiros no prédio e ficou estacionado justamente para se proteger da chuva.

Parte da família de Costa soube da tragédia pela TV. "Estávamos vendo jornal quando passou a notícia dos desaparecidos. Logo em seguida, o filho dele ligou e contou que era meu tio", diz Renan Barriatto, de 33 anos.

Segundo ele, Costa era motorista de aplicativo havia três anos e morava no Tremembé, também na zona norte.

As buscas foram feitas com botes. Mergulhadores foram ao local, mas não atuaram por causa da péssima visibilidade.

Inicialmente os bombeiros trabalhavam com a informação de dois desaparecidos, o motorista e uma passageira. Mais tarde, porém, ela apareceu.

A zona norte foi uma das regiões mais afetadas. Os acessos para as estações Santana e Tucuruvi, da linha 1-Azul do Metrô, ficaram alagados. O Metrô informou, porém, que a operação dos trens não foi afetada.

Escuro


No Rio, o dia virou noite na segunda-feira, por volta das 14h30. Com a luz do dia encoberta pela tempestade, motoristas ligaram os faróis dos carros em plena tarde, e várias ruas ficaram alagadas em poucos minutos.

A prefeitura decretou estágio de atenção. O temporal caiu com mais força na zona norte e no centro, onde tráfego do VLT chegou a ser interrompido. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade