Publicidade

Estado de Minas

Jutiça nega pedido de Suzane Von Richtofen para barrar livro sobre sua história

O livro 'Suzane- Crime e Punição' é assinado pelo jornalista Ulisses Campbell. Na obra, o autor conta detalhes da história da presidiária, desde o crime até sua vida na prisão


postado em 06/11/2019 15:17 / atualizado em 06/11/2019 17:29

(foto: Tuca Vieira/Folha )
(foto: Tuca Vieira/Folha )
Suzane Von Richthofen, condenada por ajudar a matar os próprios pais, teve pedido negado pela Justiça. O documento solicitava que o livro, que narra a história do filme, fosse barrado. A decisão é de segunda instância. 

O livro 'Suzane- Crime e Punição' é assinado pelo jornalista Ulisses Campbell. Na obra, o autor conta detalhes da história da presidiária, desde o crime até sua vida na prisão. O jornalista entrevistou pessoas em torno da presa, outras detentas, funcionários do sistema prisional e analisou todo o processo do caso Richthofen. 

O pedido de Suzane gerou uma liminar em início de outubro para barrar a publicação sob pena de multa diária de R$ 5 mil, em caso de desumprimento. Na argumentação, ela alegou que teria direito ao esquecimento e que a obra causaria um dano irreparável à sua imagem.

Apesar das acusações, o pedido foi negado em primeira instância pela juíza Larissa Gaspar Tunala. Ela se baseou em outras autorizações para publicação de biografias sem autorização prévia, baseada no direito de liberdade de expressão.

Suzane tentou recorrer da decisão, mas teve pedido negado também em segunda instância, no Tribunal de Justiça de São Paulo.

 *A estagiária está sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 
 
 


Publicidade