Publicidade

Estado de Minas ACERV

Veja alguns dos 20 milhões de itens que o Museu Nacional guardava

Entre os itens está o esqueleto mais antigo já encontrado nas Américas. O fóssil de Luzia foi encontrado em Lagoa Santa, na Grande BH, em 1974


postado em 02/09/2018 22:19 / atualizado em 02/09/2018 22:37

Esqueleto de Luzia, mais antigo já encontrado nas Américas.(foto: Pedro Motta/Esp. EM)
Esqueleto de Luzia, mais antigo já encontrado nas Américas. (foto: Pedro Motta/Esp. EM)

Luzia, a 1ª brasileira


O Museu Nacional abrigava o esqueleto mais antigo já encontrado nas Américas. Com cerca de 12 mil anos de idade o esqueleto foi achado em Lagoa Santa, em Minas, em 1974. Trata-se de uma mulher, batizada de Luzia, que morreu entre os 20 e os 25 anos e foi uma das primeiras habitantes do Brasil. A descoberta de Luzia, que teve seu crânio reconstituído (foto), mudou as teorias sobre o povoamento das Américas.

(foto: Reproducao/Internet/Museu nacional )
(foto: Reproducao/Internet/Museu nacional )

O meteorito Bendegó

No saguão do museu estava o maior meteorito já encontrado no Brasil, com 5,36 toneladas. A rocha é oriunda de uma região do Sistema Solar entre os planetas Marte e Júpiter e tem cerca de 4,56 bilhões de anos. O meteorito foi achado em 1784, em Monte Santo, no sertão da Bahia. Está na coleção desde 1888.


- Primeira coleção de múmias egípcias da América Latina

- Esqueleto de uma baleia jubarte

- Maxakalisaurus topai, o primeiro dinossauro de grande porte montado no Brasil

- Biblioteca com 2.400 obras raras

- A esquife da dama Sha-amum-em-su, que nunca foi aberta, uma doação do Egito ao imperador Dom Pedro II

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade