UAI
Publicidade

Estado de Minas CHECAMOS

Receita caseira de bicarbonato de sódio com limão não clareia dentes e pode prejudicar saúde bucal

"É um absurdo essa mistura do limão, que é extremamente ácido, mais o abrasivo, que é o bicarbonato de sódio", explica especialista


16/11/2021 16:15 - atualizado 18/11/2021 08:24

Diversas receitas caseiras para clarear os dentes usando bicarbonato de sódio e limão circulam na internet, tanto em formato de vídeo quanto por meio de textos e imagens. Uma delas foi compartilhada 29 mil vezes nas redes sociais desde 25 de outubro.

Mas, segundo especialistas, a mistura não é de fato eficaz para o clareamento, uma vez que apenas remove manchas superficiais e pode, ainda, prejudicar diversas estruturas bucais.

“OS DENTISTAS VÃO ME ODIAR DEPOIS DISSO (DESCOBRI O SEGREDO PARA CLAREAR OS DENTES EM CASA)”, diz o texto de um vídeo que circulou no Facebook. Outras versões da receita também foram compartilhadas na plataforma (1, 2, 3, 4). 

Receita muito semelhante, com os mesmos ingredientes, também foi compartilhada em outro vídeo no YouTube em agosto de 2021. 

Publicações com conteúdo similar também circularam no Twitter desde, pelo menos, 2019.
Print de receita caseira que promete clareamento de dentes, mas faz mal à saúde bucal
Captura de tela feita em 11 de novembro de 2021 de uma publicação no Facebook ( . / )

Segundo a sequência, o “segredo para clarear os dentes em casa” consistiria em misturar uma colher de chá de pasta de dente, pouco menos da metade de um limão espremido e uma colher de chá de bicarbonato de sódio.

Eficácia para clarear os dentes

Para Érica Torres, professora da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Goiás, a receita viralizada não é capaz de promover o clareamento dos dentes. “Não vai promover clareamento, vai promover um desgaste superficial dos dentes. Pode ser que algumas pessoas compreendam esse desgaste superficial [como clareamento], porque pode ser que esse desgaste retire manchas superficiais do dente”, explicou ao Checamos.

“Hoje em dia, existe um conceito científico: o clareamento dentário é promovido por meio de uma substância chamada peróxido de hidrogênio. [Então] o princípio ativo de todas as substâncias clareadoras é sempre o mesmo: é o peróxido de hidrogênio”, continuou Torres.

Um artigo publicado na Revista da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas explica que os agentes clareadores são, em sua maioria, à base de peróxido de hidrogênio ou de seus precursores. Estas substâncias são capazes de produzir radicais livres que “degradam os pigmentos presentes na estrutura dental por meio de uma reação de oxidação, transformando-os em estruturas moleculares cada vez mais simples. Essa alteração na estrutura dos pigmentos causa o efeito clareador”.

Nesse sentido, o bicarbonato de sódio da receita não pode ser considerado um produto clareador, já que não altera a tonalidade dos dentes. “O bicarbonato pode, no máximo, remover manchas externas”, reforçou Torres.

Ana Cecília Aranha, professora do Departamento de Dentística da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo e especialista em hipersensibilidade dentária, também afirmou que a receita viralizada não é eficaz no clareamento. Ela ressaltou que fórmulas caseiras como a viralizada não têm ingredientes ativos para proteger os dentes, como seria o caso, por exemplo, do flúor. “Não existe receita caseira para clareamento e sim fórmulas específicas para fazer [o procedimento e] só sob a supervisão do cirurgião-dentista”, disse.
Uma dentadura e uma escova de dentes são expostas durante um protesto de dentistas em Rennes, França, em 13 de junho de 2017
Uma dentadura e uma escova de dentes são expostas durante um protesto de dentistas em Rennes, França, em 13 de junho de 2017 ( AFP / Damien Meyer)

Riscos para a saúde bucal

Segundo o Conselho Federal de Odontologia (CFO), as substâncias abrasivas e ácidas mencionadas na receita, como o bicarbonato de sódio e o limão, “podem causar mais prejuízo do que benefício à saúde bucal”

“Existe risco de prejuízo a diferentes estruturas bucais como dentes, mucosas e gengiva, considerando, ainda, diversos fatores inerentes à variabilidade da condição de saúde bucal que é diferente para cada pessoa”, afirmou o Conselho ao Checamos, acrescentando ainda que o órgão não recomenda a realização de qualquer tipo de tratamento odontológico sem a avaliação e a supervisão direta do cirurgião-dentista.

Procurado pelo Checamos, o Ministério da Saúde do Brasil também informou que “a falsa compreensão de que produtos abrasivos/erosivos geram clareamento no elemento dentário pode gerar a remoção do esmalte dentário - a superfície externa do dente responsável pela proteção do mesmo. Isso, por sua vez, pode ocasionar no aumento da sensibilidade dentária, na perda de estrutura dentária e, em alguns casos, em lesões no tecido gengival”.

Um estudo científico de pesquisadores alemães publicado em 2015, analisou o potencial erosivo de dez líquidos não-alcoólicos nos dentes, e concluiu que o suco de limão estava entre os que apresentaram maior erosividade.

“É um absurdo essa mistura do limão, que é extremamente ácido, mais o abrasivo, que é o bicarbonato de sódio”, afirmou a professora Aranha.

Neste sentido, a odontóloga Torres agregou que a mistura compartilhada nas redes é especialmente preocupante: “Se juntarmos o potencial abrasivo desse bicarbonato de sódio com o componente ácido do limão, (...) vamos ter duas ações que podem promover desgastes superficiais do esmalte dentário e o uso prolongado disso pode até provocar um desgaste e danos estruturais mais severos ao dente”.  

Ela explicou que o tecido que reveste os dentes é o chamado esmalte dentário e, abaixo, existe uma camada chamada dentina. “Algumas pessoas podem estar com áreas de dentina diretamente expostas na boca, não recobertas por esse esmalte. E a dentina é um tecido mais amarelado. Então essa pessoa é mais suscetível a querer usar essa receita. [Mas] esse amarelado natural do tecido não vai ser clareado com esse tipo de substância. O máximo que essas substâncias vão fazer é retirar alguma mancha mais superficial”, disse. E os danos, explicou, seriam ainda maiores nessas pessoas.

Aranha afirmou: “Pode sim ser um dano aos nossos dentes, principalmente se estamos falando de um paciente que pertence a algum tipo de grupo de risco para o desenvolvimento de uma lesão que chamamos de ‘lesão não cariosa’". Ela explicou que essas lesões são uma perda de tecido de esmalte e de dentina, causada por mecanismos de corrosão, de tensão e de abrasão. 

Ambas as especialistas consultadas pelo Checamos afirmaram desconhecer estudos científicos sobre os efeitos da receita viralizada para os dentes.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade