UAI
Publicidade

Estado de Minas SOTERRADOS

Ao menos 21 pessoas morrem presas em carros por nevasca no Paquistão

Vítimas decidiram ver de perto uma rara tempestade de neve no norte do país e acabaram mortas


08/01/2022 10:40 - atualizado 08/01/2022 16:36

Carros ficaram encobertos e presos na neve
Carros ficaram encobertos e presos na neve (foto: Inter Services Public Relations / AFP)


Ao menos 21 pessoas morreram presas dentro de seus veículos, em um gigantesco engarrafamento causado por dezenas de milhares de visitantes que decidiram ver uma rara tempestade de neve em uma cidade montanhosa do norte do Paquistão.

Segundo a polícia, ao menos oito pessoas morreram congeladas dentro de seus veículos. Ainda não se sabe se as outras vítimas morreram sufocadas após inalarem gases no engarrafamento.

O ministro do Interior, Sheij Rashid, disse que mobilizou militares para limparem as estradas e socorrerem os milhares de motoristas e passageiros ainda presos perto de Murree, cerca de 70 km ao nordeste da capital Islamabad.

Vídeos compartilhados nas redes sociais mostram carros presos no engarrafamento, com um metro de neve acumulada no teto.

"A intensa nevasca provocou um engarrafamento enorme e o fechamento das estradas", explicou por telefone à AFP um turista, Babar Khan, que ficou preso por horas.

"As estradas também foram fechadas devido à queda de árvores em vários lugares", acrescentou.

O serviço de meteorologia do Paquistão informou que há previsão de nevascas intensas na região até domingo à tarde.

O ministro da Informação, Fawad Chaudry, disse que as nevascas das últimas 48 horas bateram recordes de décadas.

"Governo pouco preparado" 

Durante dias, as redes sociais do Paquistão estiveram cheias de imagens e vídeos de pessoas se divertindo com a neve perto de Murree, um pintoresco centro turístico construído pelos britânicos no século XIX e usado como sanatório para suas tropas coloniais.

Essa cidade de aproximadamente 30.000 habitantes está localizada a 2,300 metros de altura em meio a colinas e vales. É acessada por estradas estreitas, muitas vezes engarrafadas mesmo com o tempo bom.

O gabinete do chefe da província de Punjab anunciou que Murree foi declarada "zona de desastre" e pediu às pessoas para não viajarem para a cidade.

O primeiro-ministro Imran Khan se declarou comovido com a tragédia.

"Nevascas sem precedentes e deslocamentos de pessoas sem constatar as previsões meteorológicas deixam o governo pouco preparado" para enfrentar a situação, tuitou.

"Ordenei uma investigação e adotei no local medidas rígidas para prevenir este tipo de tragédia", acrescentou.

Advertências 

As autoridades advertiram no último fim de semana que muitos veículos tentavam chegar a Murree, mas isso não desanimou a multidão de motoristas a viajar para esta cidade.

Mais de 100.000 automóveis foram para a cidade turística de Murree nos últimos dias para ver as grandes e raras nevascas, causando enormes engarrafamentos nas vias de acesso e saída, segundo um porta-voz da polícia.

Sua proximidade com a capital fazem de Murree um frequentado destino turístico para viagens de um dia.

O ministro Sheij Rashid informou que moradores locais alojaram as pessoas presas na cidade e ofereceram comida e abrigo aos que estão nas redondezas.

As autoridades forneceram alojamento em escolas e prédios administrativos para aqueles que conseguiram sair das estradas engarrafadas e chegar à cidade.

O serviço de emergência do Paquistão divulgou uma lista com os nomes das 21 pessoas cuja morte foi confirmada.

Muitas delas morreram congeladas em seus veículos cobertos de neve, segundo o porta-voz do governo de Punjab, Hasaan Khawar. Entre as vítimas está uma família de cinco membros.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade