Publicidade

Estado de Minas ANTIQUARENTENA

Militante contra isolamento social na Argentina morre de COVID-19

Organizador de diversas manifestações contra a quarentena, Angel José Sportono, de 74 anos, morreu no último dia 16


postado em 06/07/2020 15:10 / atualizado em 06/07/2020 15:55

Durante o isolamento, Sportono tomou gosto pelo ativismo virtual. Ele teria começado a passar a madrugada nas redes sociais, compartilhando folhetos antiquarentena e comentários políticos(foto: Redes Sociais/Reprodução)
Durante o isolamento, Sportono tomou gosto pelo ativismo virtual. Ele teria começado a passar a madrugada nas redes sociais, compartilhando folhetos antiquarentena e comentários políticos (foto: Redes Sociais/Reprodução)
Um dos líderes de manifestações contrárias às medidas de isolamento social na Argentina morreu em 16 de junho após se contaminar pelo novo coronavírus. Angel José Spotorno, de 74 anos, morreu após organizar movimentos sociais e marchas políticas. Nas redes sociais, ele também publicava diversos posts contra a quarentena. 

A pandemia de COVID-19 levou os governos de todo o mundo a tomarem diferentes decisões ao estabelecer o isolamento social. Em alguns países, a medida é levada mais a sério do que em outros. Na Argentina, alguns setores tratam a decisão das autoridades como “ditatorial” e organizam protestos. Esse movimento é semelhante no Brasil. 

Em entrevista à Rádio Del Plata, a filha de Spotorno afirmou que o pai não a escutava. “Eu estava dizendo sempre para ele: 'Se você quer viver, vai receber uma pensão. E isso não é ruim. Por que sair e procurar o vírus?' E ele respondia: 'Os comunistas não vão me impedir'”, contou.

Ainda de acordo com a entrevista, Sportono tomou gosto pelo ativismo virtual. Ele teria começado a passar a madrugada nas redes sociais, compartilhando folhetos antiquarentena e comentários políticos. 

A prima do homem, Maria Riera, também se posicionou sobre o assunto nas redes sociais. "Dos 90 dias em que viveu em quarentena, cerca de 85 ele estava nas ruas. Ele sempre cuidou bem de si mesmo, não teve doença ou tomou qualquer coisa. Tivemos um relacionamento muito bom ”, lembrou. 
  
Segundo a família, "Angel estava conversando com um colega de festa até que, de repente, ele parou de responder às mensagens".
 
Sem noticias sobre o idoso, cresceram as preocupações. Até que a polícia encontrou o corpo do ativista em casa, em frente à televisão. 

Morte por COVID-19

Ao descobrir a morte de Spotorno, os famíliares do homem começaram a acreditar na teoria de que ele teria sofrido um ataque cardíaco. Apesar disso, após perceber que ele tinha deixado um termômetro em uma das mesas, que lia 38 graus, a irmã do ativista começou a questionar o óbito.

 

Dias depois de sua morte, foi comprovada a morte devido ao novo coronavírus. Sportorno morreu após dificuldades de respirar. 

 

Números 

De acordo com o governo Argentino até esta segunda-feira (6) são 77.802 casos de COVID-19 confirmados no país e 1.507 mortes.

 

*Estagiária sob supervisão 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade