Publicidade

Estado de Minas

'Greve pelo Clima' leva milhares de pessoas às ruas de pelo menos 150 países

Manifestantes protestam contra queimadas na Floresta Amazônica e na Indonésia e ao aumento nas temperaturas médias globais


postado em 20/09/2019 15:02 / atualizado em 20/09/2019 18:29

(foto: AFP)
(foto: AFP)
Em 150 países em torno do globo, acontece nesta sexta-feira a greve mundial pelo clima, que está levando milhares de manifestantes às ruas. As multidões se reúnem em pontos turísticos e exigem medidas concretas para frear as emissões de gases causadores do efeito estufa e combater o aquecimento global.

Lugares como o Portão de Banderbugo, em Berlim, a Abadia de Westminster, em Londres, e a Candelária, no Rio de Janeiro, foram tomados por pessoas. Nesta sexta-feira são esperadas mais de 5 mil eventos em todo o mundo; o maior ato deve acontecer em Nova York, Estados Unidos, onde simultaneamente nos dias 21 e 23 vai ocorrer a Cúpula pelo Clima da ONU.

A ‘Greve pelo Clima’ tem origem no ‘Fridays For Future’ que ganhou repercussão com a jovem ativista Greta Thunberg, que é expoente nos protestos. As manifestações estão ocorrendo porque 2020 é visto por especialistas como o ano chave para combater o aquecimento. Isso se deve porque as medidas devem ser tomadas até o próximo ano para conseguir manter o aumento das temperaturas médias globais abaixo de 1,5ºC até o final deste século, e as emissões de dióxido de carbono (CO2) reduzidas em 45% até 2030.

Dentre as principais pautas dos manifestantes estão as queimadas na Floresta Amazônica e na Indonésia, além do aumento nas temperaturas médias e a redução das emissões de gás carbônico.

 


Apoio

Além de participar das manifestações, várias pessoas estão aderindo ao ‘ativismo online’, publicando imagens em apoio aos manifestantes.

O líder espiritual dos budistas tibetanos, Dalai Lama, publicou uma mensagem na sua conta no Twitter apoiando as manifestações. "Esta é provavelmente a geração mais jovem que tem sérias preocupações com a crise climática e seus efeitos no meio ambiente. Eles estão sendo muito realistas sobre o futuro. Eles veem que precisamos ouvir os cientistas. Nós devemos encorajá-los", afirmou.



Atores como Chris Hemsworth e Leonardo Dicaprio também anunciaram seu apoio total às manifestações. "A crise climática está sobre nós. As crianças entendem a ciência básica de que, se continuarmos a poluir o planeta, as mudanças climáticas pioraram e elas não terão futuro", escreveu o intérprete de Thor no Instagram.


Brasil nas manifestações

No Rio de Janeiro, os manifestantes ocuparam as escadarias da Assembleia Legislativa para pedir o fim das queimadas na Amazônia e medidas de proteção ao meio ambiente. O Museu do Amanhã manifestou apoio e preparou várias atividades educativas sobre as mudanças climáticas.

Em Belo Horizonte, as manifestações foram em frente à Assembleia Legislativa. A escadaria da casa deu lugar a um globo terrestre, que lembra a necessidade de proteger os recursos do planeta.

Na cidade de Fortaleza, os estudantes se reuniram na Praça Luiza Távora. A principal reivindicação dos manifestantes é a implantação de indústria menos poluentes que as termelétricas.

Maceió, Recife e Salvador
também foram alvo dos manifestantes. Estudantes e professores levaram cartazes com dados.


Publicidade