UAI
Publicidade

Estado de Minas INQUÉRITO CIVIL

Barragem: acionamento de sirenes em Paracatu é investigado

No dia 30 de junho, foi acionado o sistema de alerta referente à barragem 3 do empreendimento de mineração, mas não havia sinais de deslocamento ou fissuras


04/07/2022 19:24 - atualizado 05/07/2022 16:15

Barragem tem rejeitos da mineração de zinco e cobre
Barragem tem rejeitos da mineração de zinco e cobre (foto: Nexa/Divulgação)
O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) investiga o que pode ter levado as sirenes de emergência das estruturas de contenção de rejeitos do empreendimento "Nexa Recursos Minerais" a serem acionadas na última quinta-feira (30/6) em Paracatu, no interior do estado.
 
A promotoria ainda apura as consequências do acionamento.
 
O sistema automático de alerta referente à Barragem 3 do empreendimento de mineração, no município do Noroeste de Minas.
 
Entretanto, não há informações sobre rompimento ou outro sinistro envolvendo a barragem.
 
 
Todavia, no Inquérito Civil, o MPMG determinou que sejam realizadas vistorias no local pela Agência Nacional de Mineração (ANM) e pela Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), e que sejam elaborados documentos técnicos para averiguar a situação das barragens e os motivos do acionamento, além de outros dados técnicos.
 
“Estamos atuando com prioridade e urgência para o adequado esclarecimento dos fatos e adoção das medidas necessárias à proteção das pessoas e do meio ambiente”, disse a promotora de Justiça responsável pela defesa do Meio Ambiente de Paracatu, Mariana Duarte Leão.
 

A ativação


As sirenes de emergência da barragem em Paracatu assustaram a comunidade da região de Morro Agudo e os moradores tiveram que evacuar o local rapidamente no dia 30 de junho. 
 
A barragem recebe rejeitos da mineração de zinco e cobre.
 
Por causa do acionamento, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros foram ao local e vistoriaram o reservatório.
 
Não foram identificados sinais de deslocamento de massa ou fissuras aparentes.

Resposta da "Nexa"


"A Nexa informa que, até o momento, não foi notificada sobre o inquérito civil, do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), para averiguar o acionamento não intencional das sirenes de emergência da barragem 3, na noite da quinta-feira, 30 de junho. A companhia ressalta que, a exemplo de outros órgãos competentes, o Ministério Público foi comunicado pela própria empresa sobre o ocorrido.

"Após o acionamento, a empresa entrou em contato com os moradores da ZAS (Zona de Autossalvamento) para esclarecer o evento e, no dia 01 de julho, realizou visita juntamente com a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros. As equipes de gestão social e de saúde da Nexa continuam à disposição das pessoas residentes na Zona de Autossalvamento para quaisquer atendimentos que se façam necessários".

"A empresa esclarece que, em 2019, realizou o simulado de evacuação de emergência com os moradores da Zona de Autossalvamento (ZAS) e, no dia 26 de maio deste ano, foi realizado um Seminário Orientativo dos protocolos de segurança. Os eventos são realizados de forma preventiva e fazem parte do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM)".

"A Nexa reforça que todas as suas barragens estão seguras e foram vistoriadas pelos órgãos reguladores e pela consultoria externa especializada que atestaram as suas estabilidades".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade