UAI
Publicidade

Estado de Minas OPERAÇÃO VALE OURO

Suspeitos são investigados por desvio de R$ 20 milhões da Vale

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em residências e em uma empresa de pessoas suspeitas no envolvimento de furtos de fertilizantes


29/06/2022 23:15 - atualizado 29/06/2022 23:15

Porsche apreendido em residência do suspeito de ser um dos dois líderes da suposta organização criminosa
Porsche apreendido em residência do suspeito de ser um dos dois líderes da suposta organização criminosa (foto: PCMG/Divulgação)
A Polícia Civil (PC) de Uberaba deflagrou, nessa terça-feira (28/6), a 2ª fase da Operação Vale Ouro, que investiga, desde 2017, suspeitos de furtarem toneladas de fertilizantes da Vale, unidade de Uberaba, no Distrito Industrial 3, cujo prejuízo para a empresa foi de cerca de R$ 20 milhões.
 
Ontem foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em residências e em uma empresa dos investigados, sendo dois mandados em casa de condomínio de luxo, um em casa de bairro residencial e o outro em empresa do distrito industrial da cidade.
 
Nos locais foram apreendidos dois veículos de luxo (um deles um Porsche), R$ 10 mil em dinheiro, seis armas, munições, celulares, notebooks e relógios, além de bloqueios de contas familiares dos envolvidos e apreensão de imóveis.
 
De acordo com a PCMG, recentemente policiais de Uberaba receberam informações de que os desvios não pararam, sendo que agora dois suspeitos, considerados os líderes da suposta organização criminosa, estariam furtando fertilizantes da Mosaic, a antiga Vale.
 
Segundo o delegado Leonardo Cavalcanti, em entrevista à TV Integração, um dos suspeitos, investigado por não possuir registro de arma de fogo, foi preso e levado para a delegacia de plantão, onde pagou fiança de R$ 20 mil e foi liberado.
 
“O próximo passo da operação é analisar o material eletrônico apreendido e interrogar alguns investigados. Vamos encerrar o inquérito até o final de julho”, complementou o delegado responsável pelas investigações.
 
Na 1ª fase da operação, desencadeada em 2017, a Polícia Civil prendeu três suspeitos de terem participado de esquema que desviou toneladas de fertilizantes e casou prejuízo de cerca de R$ 20 milhões para a Vale.
 
Além disso, na época foram identificados empresários, funcionários, ex-funcionários da empresa e motoristas de caminhões envolvidos nos desvios de fertilizantes.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade