UAI
Publicidade

Estado de Minas INVESTIGAÇÃO

Mineiro morto em Portugal: assassinato ou suicídio?

Familiares de Douglas Gonçalves de Almeida, de 36 anos, aguarda as investigações da polícia portuguesa para saber as causas da morte


16/05/2022 20:18 - atualizado 17/05/2022 00:21

foto mostra Douglas Gonçalves de Almeida, mineiro de Araçuaí,
Douglas Gonçalves de Almeida, natural de Araçuaí, morreu em Portugal (foto: Album de família/divulgação)

Os familiares de Douglas Gonçalves de Almeida, de 36 anos, encontrado morto nesta segunda-feira (16/05), a beira de uma estrada, em Sintra, perto de Lisboa, aguarda as investigações da polícia portuguesa para saber se o mineiro cometeu suicídio ou se foi vítima de homicídio.

"A família ainda não sabe se foi suicídio ou homicídio. O caso está sob investigação pela polícia portuguesa e esperamos que tudo venha ser esclarecido", declarou ao Estado de Minas, na noite de segunda-feira, o professor Milton Sousa, tio e padrinho de Douglas, que mora em Araçuaí.


O professor Milton Sousa disse que o sobrinho morava em Portugal há quatro anos e trabalhava na área de construção civil, com serviços de pintura e reforma de casas. Antes, na cidade do Vale do Jequitinhonha, ganhava a vida como auxiliar de serviços gerais em um colégio ligado a uma instituição católica.
Ainda segundo o tio e padrinho de Douglas, o carro do mineiro foi encontrado sem sinais de arrombamento e de acidente em uma estrada deserta, próximo ao local onde o corpo foi localizado. "O local era como um caminho de praia, algo assim, e o carro estava intacto, tudo perfeito. Ele foi encontrado sem vida, de bruços, próximo ao carro, com sinais de enforcamento", explicou o tio. Ao lado, foram encontrados os pertences de Douglas, como bolsa, carteira e cartões.

Milton Souza informou que o corpo foi encaminhado para o serviço de medicina legal de Lisboa.

Em entrevista ao Estado de Minas, a irmã de Douglas, Karla Cristine, contou que o último contato com a esposa foi na segunda-feira, quando ele disse que estava indo para a maternidade auxiliar uma mulher com quem se relacionou anteriormente e que havia entrado na emergência em trabalho de parto.

Vaquinha eletrônica


A família está empenhada em resolver como será o traslado do corpo para o Brasil. Outra irmã de Douglas, Daniela Gonçalves de Almeida, de 40 anos, contou que a família estava começando uma vaquinha, inicialmente para que algum parente fosse para Portugal. "A intenção era ir pra lá ajudar a esposa e pressionar as autoridades pelas buscas. Agora, mudamos para o objetivo de trazer o corpo para cá, porque não é barato", explicou.

A meta de arrecadação divulgada na vaquinha virtual - da "ajuda para trazer o corpo de Douglas de Portugal para o Brasil" é de R$ 40 mil, sendo que até a noite desta segunda-feira, já tinham sido arrecadados R$ 4.322,80. 

Segundo o professor Milton Sousa, na verdade, o objetivo inicial da campanha é de arrecadação de R$ 100 mil para bancar todas as despesas do traslado. Ele disse que a família solicitou apoio ao Itamaraty, mas que o governo não libera recursos para cobrir esse tipo de despesa.

"Mas ainda não sabemos como ficará a questão do traslado, pois o corpo foi encontrado em estado de decomposição", afirmou o tio de Douglas.

* estagiária sob supervisão da subeditora Fernanda Borges


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade