UAI
Publicidade

Estado de Minas ALTA NEGATIVA

Varginha bate recorde e registra mais de 500 novos casos de COVID-19

Menina de apenas 8 anos está internada e o município somou ainda mais sete pessoas hospitalizadas por complicações causadas pelo novo coronavírus


17/01/2022 19:14 - atualizado 17/01/2022 19:21

Coronavírus
Varginha registra explosão de casos de COVID-19 (foto: Pixabay)
Varginha, no Sul de Minas, registrou mais de 500 casos novos da COVID-19 e bateu recorde nesta segunda-feira (17/1). A prefeitura divulgou o boletim epidemiológico e entre os registros tem uma menina de apenas 8 anos hospitalizada por complicações causadas pelo novo coronavírus.
 
De acordo com a prefeitura, só nesta segunda-feira (17/1), Varginha somou 503 registros novos de COVID-19. No total, já são 21.357 pessoas infectadas pela doença e 355 mortes.
“Tem muitas fontes notificadoras, como farmácias, que por conta do fim de semana, demoram para darem entrada do exame na Vigilância Epidemiológica. Isso acabou colaborando para esse número expressivo. Muito embora, o que a gente imagina, é que nessa onda vamos ter isso crescente em função da predominância da variante Ômicron, que é extremamente mais transmissível. Acaba sendo duas vezes maior que a do sarampo", explica o médico infectologista Luiz Carlos Coelho. 
 
Além dos casos positivos, a prefeitura divulgou mais oito pessoas internadas por complicações do novo coronavírus, entre elas, uma menina de apenas 8 anos. “A criança está na enfermaria, passa bem e está sendo monitorada”, afirma assessoria de imprensa.
 
O surto de síndrome gripal também está em alta na cidade. Para atender a demanda, a prefeitura reativou três Unidades Básicas de Saúde (UBS) para desafogar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA): UBS Bom Pastor, UBS Canaã e Santana.
 
“Trata-se de medida emergencial para agilizar atendimentos e criar mais um ponto de acolhimento de casos leves de síndromes gripais, favorecendo a população. O que a gente vai observar é que essa variante, mesmo sendo mais transmissível, não vai impactar e não está impactando nas taxas de ocupação. Porque essa variante tem menos agressão ao tecido pulmonar. A gente observa mais patologias na via aéreas superior. O esperado é que venha impactar menos na morbimortalidade”, resslata o médico infectologista.
 
Em Varginha, 245.071 doses da vacina contra a COVID-19 já foram aplicadas, sendo 111.530 moradores imunizados com a primeira aplicação e 104.333 com a segunda. Mais de 26 mil pessoas receberam a dose de reforço e outras 2.615 s vacinaram com a dose única.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade